Cidades

DOBRO DA CONCORRÊNCIA

Premiado na Alemanha, novo pneu de soja garante vida útil de 140 mil km

Composto à base de óleo de soja aumenta ainda atributos como resistência, elasticidade e aderência

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Aliar sustentabilidade a desempenho não é tarefa simples, mas a façanha rendeu à multinacional Goodyear o Prêmio Internacional de Tecnologia de Pneus na categoria “Desempenho Ambiental” durante feira do setor realizada em Hannover, Alemanha.

Com dois modelos criados à base de óleo de soja, o Eagle Enforcer All Weather – primeiro do mercado desenvolvido para atender as exigências de uma perseguição policial – e o Assurance MaxLife, que oferece garantia de 140 mil quilômetros de rodagem, a maior da história da empresa e o dobro da média do segmento, a companhia atende às demandas da vida urbana com a exigência de preservação ambiental.

O óleo de soja faz a borracha se integrar melhor com os componentes de sílica presentes nos pneus

A tecnologia inédita de utilizar óleo de soja em lugar de petróleo na fabricação de pneus havia sido lançada em setembro do ano passado, nos Estados Unidos. A novidade, agora, foi aproveitar atributos como maior aderência e resistência a extremos de calor e frio, umidade e tempo seco, para fazer um pneu específico para o mercado de veículos policiais. O desenho da banda de rodagem é assimétrico e com multizonas para dar maior estabilidade nas curvas.

O interesse da Goodyear na fabricação do “pneu de soja” começou por questões de sustentabilidade, mas a pesquisa trouxe à tona um produto com qualidades superiores e altamente competitivo.

Nos experimentos apoiados financeiramente pela Conselho dos Produtores de Soja dos Estados Unidos (United Soybean Board), a Goodyear descobriu que o óleo de soja poderia melhorar o desempenho dos pneus em baixas temperaturas, ajudando a borracha a se manter flexível em climas frios e melhorando a tração em piso molhado e neve ao mesmo tempo. Além disso, o óleo de soja misturou-se mais facilmente com compostos de borracha e reduziu o consumo de energia, melhorando a eficiência na fabricação de pneus.

“A industrialização da tecnologia de óleo de soja demonstra que a pesquisa e desenvolvimento em materiais sustentáveis pode trazer benefícios não apenas ao meio ambiente, mas também ao desempenho dos pneus. Esse tipo de inovação será cada vez mais a norma, e não a exceção, na indústria de pneus do futuro”, disse Graham Heeps, presidente do júri da Tyre Technology Expo.

A busca de novos usos para as commodities agrícolas é estratégica para o setor devido aos consecutivos recordes de produção. Neste ano, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) projeta que serão utilizados 18,5 milhões de toneladas de soja para a produção de biodiesel no País, em função da o aumento de 8% para 10% na mistura com o derivado do petróleo.

Como os pneus atendem exigências próprias do clima no hemisfério Norte, a Goodyear informou que não há previsão de lançamento do produto no Brasil.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários