Economia e Negócios

FINANÇAS EM DIA

Economista fala sobre planejamento financeiro

O ano de 2018 já começou e, com ele, vieram muitas contas para pagar. Impostos como IPVA, IPTU, seguro obrigatório do veículo, mensalidades escolares; além das despesas básicas como água, luz, telefone, internet – o que acaba deixando muitas famílias endividadas e com o nome sujo na praça. Em entrevista à nossa reportagem, o economista Marcelo Manenti falou sobre planejamento financeiro e dicas de controle de gastos.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

O que fazer para evitar apertos?

No começo de ano, espera-se que todas as famílias tenham planejamento para quitar suas dívidas, evitando empréstimos bancários com juros abusivos. Mas não é bem o que acontece… As pessoas devem ter em mente que, além das despesas básicas como supermercado, água, luz, telefone, combustível, também chegam o IPVA, IPTU, seguro obrigatório, matrículas na escola, uniforme, material escolar – uma série de despesas que se acumulam. E o grande problema é que a maioria das pessoas não se planeja para este momento. O ideal é que tenhamos uma reserva para dar conta desses pagamentos, porque a maioria destes impostos/despesas têm valores elevados. Assim que a pessoa recebe o 13º e férias, planejar para que o dinheiro seja usado no pagamento de impostos, evitar despesas não previstas e que tudo possa ser sanado com esse dinheiro.

Uma dica é sempre anotar os gastos diários?

Um dos grandes problemas dos brasileiros é que o planejamento é zero, e as pessoas não dão a devida importância ao controle financeiro. E quando tudo está controlado, a finança pessoal fica em dia. Separar os gastos numa planilha é muito fácil: de um lado as receitas e do outro as despesas como alimentação, manutenção da casa, saúde, veículo, despesas que não temos programadas (impostos); e anotar todos os dias quanto se gastou. Verificando o que gastou a cada 10 ou 15 dias, perceberá o que é gasto necessário ou evitar despesas necessárias.

Planejamento é a base de tudo?

É o essencial para que nossas contas sempre fiquem no azul, o ideal em relação à economia. É a máxima de todas: gastar menos do que ganha. Esse é o planejamento que toda família deveria realizar. E outro ponto: manter uma poupança guardada é primordial, porque não sabemos o que pode acontecer no futuro.

Como está a situação financeira das famílias brasileiras?

Uma estatística publicada no final do ano passado indicou que mais de 60% das famílias brasileiras estavam devendo com muitos atrasos. E todos os Estados, o Paraná é o Estado com mais famílias endividadas no Brasil, chegando a cerca de 90%. E dentre os maiores vilões do endividamento, estão descontrole no uso do cartão de crédito, financiamento imobiliário e financiamento de veículos. O que devemos fazer é tomar cuidado para não pagar juros, verdadeiro vilão do planejamento financeiro. Portanto, não importa o quanto ganhamos, mas devemos nos precaver para não passar por dificuldades.

“As pessoas devem ter em mente que, além das despesas básicas como supermercado, água, luz, telefone, combustível, também chegam o IPVA, IPTU, seguro obrigatório, matrículas na escola, uniforme, material escolar – uma série de despesas que se acumulam. E o grande problema é que a maioria das pessoas não se planeja para este momento”.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários