Especial

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

A importância do “Dia D” para o fim do Nazismo

Considerado o dia mais importante da Segunda Guerra Mundial, o “Dia D” em 6 de junho de 1944 (74 anos atrás), foi a data em que ocorreu o desembarque das tropas aliadas na Normandia (noroeste da França). O ato foi decisivo na vitória dos aliados (Estados Unidos, França, Grã-Bretanha com apoio de outros países – dentre eles o Brasil), contra o Eixo (Alemanha, Itália e Japão) – e a extinção do Nazismo na Europa. Nesta matéria especial, relembre a história do desembarque aeroterrestre, desembarque nas cinco praias e as batalhas.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

DESEMBARQUES AEROTERRESTRES – O assalto foi realizado em duas fases: uma aterragem de assalto aéreo de 24 mil britânicos, estadunidenses, canadenses e tropas livres de franceses aerotransportados pouco depois da meia-noite; e um desembarque anfíbio da infantaria aliada e divisões blindadas na costa da França, com início às 6:30 da manhã do dia 6 de junho de 1944.

Precedidas de aviões orientadores para delimitar as zonas de lançamento no solo, a 82ª e a 101ª Divisões Aeroterrestres norte-americanas começaram a saltar de seus aviões à 1h30 da madrugada do dia 6 de junho. Sua tarefa era tomar a área a oeste da Praia de Utah até o Rio Merderet e impedir que os reforços alemães se deslocassem até a praia.

Os ventos fortes e a falha da maioria dos indicadores instalados no solo pelos precursores provocavam saltos muito dispersos. Assim que pousaram, as tropas paraquedistas ficaram desorientadas e levou tempo para os grupos se reorganizarem. Felizmente, os alemães, que acreditavam que o tempo estava muito ruim para a invasão ocorrer, foram pegos de surpresa. Isso possibilitou que a 101ª divisão ocupasse algumas saídas de Utah e que a 82ª tomasse Sainte Mère-Eglise, que seria crucial durante as 48 horas seguintes, mas não permitiu efetuar travessias sobre o Merderet.

PRAIA DE OMAHA – O desembarque das tropas norteamericanas aconteceu às 06hs30min de 06 de junho de 1944. A Praia de Omaha, mais conhecida como “Omaha Sangrenta” foi a praia de maior resistência alemã e a praia que deu maior trabalho às forças Aliadas. Omaha era coberta por obstáculos espalhados por toda praia, que foram implantados a mando do Marechal Erwin Rommel para que os tanques aliados não conseguissem invadir a praia.

Omaha também tinha armas antinavais e metralhadoras MG42 para parar o fluxo de soldados invadindo o perímetro. Depois de mais de duas mil mortes, os aliados venceram a batalha, invadindo o flanco superior esquerdo da praia pelo cercado de arames e destruindo as casamatas (bunkers). Omaha era um apelido dado à Praia Colleville, e recebeu esse nome para que, na hipótese das mensagens enviadas dos Estados Unidos à Inglaterra serem interceptadas pelos nazistas, eles não conseguissem entender onde seria o ataque.

Há filmes que mostram o desembarque aliado na praia de Omaha, como O Resgate do Soldado Ryan (Saving Private Ryan) e O mais longo dos dias (The Longest Day); além de livros como O Dia D – 6 de Junho de 1944, de Stephen E. Ambrose; e jogos como Company of Heroes, Medal of Honor e Call Of Duty.

Socorristas do 4º batalhão médico norte-americano administram um soro em um colega médico da 4 ª Divisão de Infantaria, que foi ferido na manhã do dia 6 de junho de 1944, durante o desembarque em Utah

PRAIA DE UTAH – Utah era o nome de código para a praia a mais distante à direita das cinco áreas de desembarque na Normandia (Utah, Omaha, Gold, Juno e Sword). Localizada na costa oriental da base da península de Cotentin, era uma adição às áreas inicialmente programadas para a invasão. A área de desembarque de Utah era aproximadamente de 5 Km e estava ao noroeste do estuário de Carentan.

Comparando as fortificações alemãs na Praia de Omaha e as defesas em Utah, compostas de posições fixas de infantaria, as últimas eram escassas, e imediatamente atrás da área de desembarque foram inundadas e restringiram severamente o avanço terrestre. As forças defensoras consistiam em elementos das 709ª, 243ª, e 91ª divisões de infantaria alemã.
Os setores de assalto na praia de Utah foram designados (de oeste a leste): Tare Green, Uncle Red, and Victor. A invasão foi planejada para o Tare Green e o Uncle Red, com a saída número 3 quase no meio da área de desembarque.

A “hora H” foi programada para as 06h30 horas. A praia deveria ser atacada pela 4ª divisão da infantaria dos Estados Unidos. O objetivo era cruzar a praia e tomar o controle das estradas da costa, estabelecer a ligação com as tropas aerotransportadas que tinham aterrado cinco horas antes, e preparar então para atacar Cherbourg. O desembarque foi feito na praia errada, e devido às fortes correntes, e à fumaça do bombardeamento aliado que obscurecia a área, a força aterrou a 1.800 metros da área designada, no setor menos defendido.

O comandante da divisão, brigadeiro general Theodore Roosevelt Jr., percebeu rapidamente o erro. Expressando sua famosa observação, “We will start the war from here!” deu então ordens para a divisão avançar. Três horas mais tarde, as saídas 1, 2 e 3 tinham sido ocupadas, e por volta das 12:00 horas, os aliados já haviam estabelecido contato com os paraquedistas da 101ª divisão perto da cidade de Pouppeville. Ao fim do dia, a 4ª divisão tinha avançado aproximadamente 6,5 quilômetros, e suas unidades mais avançadas estavam a uma milha (1.600 metros) da 82ª aerotransportada perto de Sainte-Mère-Église.

Vinte mil soldados e 1.700 veículos motorizados tinham desembarcado na praia de Utah com muito poucas baixas, menos de 300 homens. Os alemães não tinham contra-atacado o assalto, devido ao sucesso das tropas aerotransportadas; e também à confusão entre os comandantes alemães a respeito de onde o ataque principal ocorreria – pois eles estavam em posição de contra-ataque na península de Cotentin.

Cabo canadense Victor Deblois do Regimento De La Chaudière, fazendo a guarda de dois prisoneiros de guerra alemães capturados logo após o desembarque em Juno

PRAIA DE JUNO – A praia se estendia de Courseulles, uma vila a leste de Gold, até Saint-Aubin, ao lado da praia de Sword. Tomar Juno era responsabilidade principalmente do exército canadense, com o transporte marítimo, e bombardeios navais sendo feitos por navios das marinhas do Canadá e do Reino Unido; apoiados também por elementos navais da marinha francesa, marinha norueguesa e outras embarcações Aliadas.

O objetivo da 3ª divisão de infantaria canadense no Dia-D era cortar a estrada Caen-Bayeux, capturar o aeroporto de Carpiquet a Oeste de Caen e formar um link entre as duas praias (de Gold e Sword) tomadas pelos britânicos. A praia era defendida por dois batalhões da 716ª Divisão de Infantaria alemã, enquanto elementos da 21.ª Divisão Panzer estavam em Caen.

Duas brigadas da 3ª Divisão Canadense desembarcaram nos setores Mike e Nan, focando em Courseulles, Bernières e Saint-Aubin. O bombardeio naval e aéreo preliminar iria enfraquecer as defesas alemãs nas praias e destruir suas principais armas costeiras. Tanques da 2ª Brigada Blindada canadense deveriam dar apoio terrestre aproximado. Uma vez que as zonas de desembarque estivessem seguras, o plano afirmava que a 9ª Brigada de Infantaria desembarcaria, enquanto os Royal Marines estabeleciam contato com a 3ª Divisão de Infantaria Britânica na Praia de Sword e a 7ª Brigada Canadense deveria se ligar com a 50ª Divisão Britânica na Praia de Gold.

Os desembarques canadenses enfrentaram pesada resistência dos defensores alemães. O bombardeio preliminar tinha sido menos eficiente do que o antecipado e o tempo ruim durante a primeira onda atrasou as operações. Vários ataques feitos por pequenas companhias conseguiram abrir buracos nas linhas alemãs, mas a um alto preço em vidas. Além de apoio coordenado de fogo de artilharia e esquadrões blindados, limparam as defesas costeiras dentro de duas horas após a primeira onda de desembarque. As reservas da 7ª e 8ª Brigadas de infantaria canadense começaram a aportar seus homens as 08:30h (junto com os fuzileiros britânicos), enquanto a 9ª Brigada desembarcou as 11:40h.

O avanço subsequente terra adentro até Carpiquet e a ferrovia Caen–Bayeux encontraram resultados mistos. A superioridade em números e equipamentos dos Aliados nas praias garantiu a vitória, mas tamanho número de combatentes desembarcando ao mesmo tempo causou congestionamento e atrasou os ataques ao sul. A 7ª Brigada Canadense encontrou mais resistência dos defensores da região antes de conseguirem avançar rumo a sul e fizeram contato com a 50ª Divisão britânica em Creully. Combates violentos também foram reportados em Tailleville, enquanto Carpiquet caiu em 24 horas. A resistência alemã em Saint-Aubin evitou que os fuzileiros britânicos conseguissem fazer contato com as tropas inglesas que desembarcavam na Praia de Sword.

Em Juno 340 soldados aliados foram mortos, 574 foram feridos e 47 foram capturados.

Prisioneiros alemães escoltados por soldados britânicos na Praia Gold

PRAIA GOLD – Gold era o nome de código para a praia central das cinco áreas de desembarque designadas para a Batalha da Normandia. A praia tinha mais de 8 Km de largura e incluía as cidades costeiras de la Rivière e Le Hamel. Na extremidade ocidental da praia estava a vila de Arromanches, e ligeiramente mais distante a oeste, a cidade de Longues-sur-Mer.

As forças defensoras alemãs consistiam em elementos a 716ª divisão e uma parte do 1º batalhão da 352ª divisão em Le Hamel. Muitas das posições alemãs foram colocadas em casas ao longo da costa, com maiores concentrações em Le Hamel e la Rivière. Estas posições eram muito vulneráveis ao ataque naval e aéreo, mas os alemães contavam com uma grande força de contra-ataque, o Kampfgruppe Meyer, a unidade mecanizada da 352ª divisão localizada na cidade de Bayeux.

O ataque aliado a Praia Gold foi atribuído ao 2º exército britânico, sob o comando do general Miles Dempsey: Os setores de desembarque na praia, foram designados (de oeste a leste) How, Item, Jig (com as secções Green e Red), e King (com também duas secções, Green e Red). O assalto devia ser realizado pela 50ª divisão de infantaria britânica. A praia era bastante larga para que duas brigadas desembarcassem. Os objetivos da 50ª divisão eram, cortar a estrada Caen-Bayeux, conquistar um pequeno porto em Arromanches, estabelecer ligação com os americanos na praia de Omaha a oeste em Port-en-Bessin, e também com os canadenses na praia de Juno a Leste.

A hora H na praia Gold foi marcada para as 07h25 horas, uma hora a mais que os desembarques programados nas praias Americanas, devido ao sentido da maré. Dos primeiros veículos blindados que desembarcaram na praia, 20 deles tocaram em minas e sofreram alguns danos. Felizmente para os ingleses, não havia artilharia pesada alemã na praia, e a resistência da infantaria era ineficaz, (a maioria dos pontos fortes alemães tinham sido anulados pelo bombardeio da manhã).

La Rivière resistiu até às 10h00 horas, e Le Hamel estava nas mãos britânicas à meia tarde. Entretanto, o 47º de comandos britânicos em Arromanches e Longues progredia para oeste, para Port-en-Bessin. Os canhões em Longues tinham sido postos fora da ação num combate furioso com o cruzador HMS Ajax. Pela noite de 6 de junho, a 50ª divisão desembarcou 25 mil homens, tinham avançado 10 Km, e estabeleceram contato com os canadenses na praia de Juno. Não tinham, no entanto, cortado a estrada de Caen-Bayeux nem conseguiram unir-se com os americanos na praia de Omaha, mas tinha feito um começo impressionante. Os britânicos sofreram 400 baixas nesta praia.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários