Especial

Não podemos perder a esperança…

O novo ano já começou. A cada recomeço, olhamos para trás, refletimos sobre o que fizemos de bom e abrimos caminho para que sejamos ainda melhores. E como forma de ilustrar o ano novo, a reportagem conversou com três personalidades medianeirenses, nas áreas de agronegócio, assistencial e empresarial; que fizeram avaliação do ano de 2017 e traçaram perspectivas para o ano novo.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves
Irineo da Costa Rodrigues – Diretor-Presidente da Lar Cooperativa Agroindustrial

Foi um ano extremamente tenso por diversas razões: Operação Carne Fraca, a cobrança do Funrural que o STF havia julgado inconstitucional, a variação cambial, queda nos preços agrícolas, os grandes esforços para o presidente Temer manter-se no cargo e acabou deixando de administrar – tudo isso dificultou nosso trabalho. Mas a Lar continua crescendo anualmente, não como os anos anteriores e como planejávamos. É o suficiente para que a Cooperativa continue investindo como fez no decorrer dos anos. E para 2018, que será ano de eleições, deveremos prestar muita atenção nos mercados que ficarão voláteis, ações do mercado externo, das decisões que o presidente norteamericano Donald Trump pode tomar. Parece que ele quer repatriar reservas de americanos, exonerando a entrada de idosos no seu país, fazendo com que o dólar ficasse mais volátil. É uma ameaça? Sim, mas também pode gerar oportunidades. E para enfrentar todos esses obstáculos, estaremos com a equipe de trabalho preparada para aproveitar essas oportunidades, nos blindarmos de ameaças de risco.

Angela Fellini – Presidente do Lar dos Idosos

Penso que seja necessário contar um pouco de nossa história: Assumi como Administradora provisória, nomeada pelo Poder Judiciário desta cidade, em março de 2016, tendo um mês para fazer todas as verificações e convocar a eleição da nova diretoria. E para minha surpresa, deparei com situações que necessitavam providências urgentes, sendo assim, montamos uma diretoria de pessoas com valores e vontade de fazer o bem; sem interesses pessoais e descomprometidas politicamente. E hoje, quase dois anos depois, podemos ver que estamos dando uma boa parcela de contribuição para que nossa casa  fique  dignamente habitável e que nossos idosos se sintam acolhidos e amados. O mérito não é só nosso, mas de toda a cidade que se envolve, participa e nos ajuda de todas as formas. Nosso coração transborda de gratidão pela confiança, por todos e por tanto, pois sem este incentivo, sem nossos parceiros e sem a ajuda, nada teríamos conseguido. Sonhamos grande: queremos uma nova casa acolhedora, porque esta cidade ama os seus, e não deixaremos nossos idosos perecerem por falta de cuidado e amor. Que 2018 nos surpreenda com bênçãos de abundância de amor, paz, saúde e garra para a missão que Deus nos confiar!

 

Lucas Eduardo Ghellere – Presidente da Acime

Houve necessidade de ajustes, exigindo dos setores produtivos muita cautela e organização como medidas preparatórias para o início de um novo ciclo de crescimento econômico. Esse novo ano traz consigo a esperança renovada de que nosso país reencontrará o caminho da estabilidade política e econômica. A classe empresarial segue confiante no seu potencial produtivo e tudo o que mais precisa nesse momento é de um ambiente propício para continuar alavancando a economia, desenvolvendo o país e gerando mais empregos. Além disso, seremos mais uma vez chamados a decidir, nas urnas, o futuro da nação, sendo essencial a participação responsável e consciente de toda a população. É chegada a hora de expurgarmos da política todos aqueles que não atendem aos requisitos mínimos de moralidade e de compromisso com o Brasil e os anseios dos brasileiros. Com entusiasmo e otimismo, faremos de 2018 um ano repleto de realizações.

 

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários