Policial

TRIBUNAL DO JÚRI

Adenilson e Francieli serão julgados amanhã (sexta-feira 02)

O julgamento pelo Tribunal do Júri do réu Adenilson Machado Lovera e da ré Francieli Benites Acunha acontecerá amanhã (sexta-feira 02), na Comarca de Medianeira, a partir das 09 h. O júri será conduzido pela Juíza de Direito da Vara Criminal Dra. Carolina Marcela Franciosi Bittencourt, tendo como advogados de defesa Marco Alexandre Hemielevski (OAB 72989N-PR) e Celso Rudinei Silva da Rosa (OAB 58645N-PR).

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Resumo da denúncia:

“No dia 13 de janeiro de 2016, por volta das 00h00min, na estrada que vai a São Miguel Arcanjo, localizada na Zona Rural deste município e Comarca de Medianeira/PR, o denunciado Adenilson Machado Lovera, Regiane de Moura Martens e Francieli Benites Acunha, em comunhão de esforços e vontades, um aderindo à conduta delituosa do outro, de forma consciente e voluntária, cientes da ilicitude e reprovabilidade de suas condutas, agindo com animus necandi, mataram a vítima Antides José Alves Rodrigues, pessoa idosa, com 64 anos à época dos fatos, com disparos de arma de fogo, atingindo-o na região frontal do crânio, causa efetiva de sua morte (Laudo de Necrópsia ainda não juntado aos autos, e requisitado nesta oportunidade na cota ministerial).

Partiu da denuciada Francieli o propósito de matar seu ex-namorado Antides José Alves Rodrigues. O crime foi premeditado por ela cerca de dois meses antes, que planejou a forma de execução e elegeu o local e as condições em que ele seria praticado. Francieli disponibilizou, ainda, dinheiro para a aquisição da arma de fogo.

No dia 12 de janeiro de 2016, durante a tarde, em horário não precisado nos autos, as denunciadas Regiane e Francieli se deslocaram de Medianeira/PR até Santa Terezinha de Itaipu/PR, onde se encontraram com o denunciado Adenilson, que, nesta oportunidade, já portava o revólver marca Taurus, calibre .38, série n° RK 694226 (apreendida nos autos – fls.09), cientes e ajustados entre si que nessa data ocorreria a execução da vítima.

Naquela noite, os denunciados Francieli e Adenilson se deslocaram até a Estrada Rural São Miguel Arcanjo com um veículo VW/Gol, cor prata, estacionando cerca de 300 metros da Rodovia PR-495. Ato contínuo, a denunciada Francieli, com a intenção de atrair a vítima até o local da consumação do crime, telefonou para Antides solicitando auxílio e afirmando, falsamente, que estava em uma festa no interior com um veículo emprestado, e que havia acabado o combustível.

Cerca de 20 minutos após o telefonema, a vítima chegou com seu veículo  FIAT/Uno, placas AAU-3746, até o ponto indicado, momento em que foi surpreendida com diversos disparos de arma de fogo marca Taurus, calibre .38, disparados pelo denunciado Adenilson, que o atingiram na região frontal do crânio, sendo eles a causa efetiva de sua morte.

Os denunciados praticaram o crime mediante dissimulação, eis que planejaram e atraíram a vítima até a Estrada São Miguel Arcanjo, Zona Rural, região de pouco trânsito, durante a noite, a fim de facilitar a execução. O crime ocorreu também por motivo torpe, em represália a supostas importunações da vítima, que mantina vídeos íntimos com a denunciada Francieli e ameaçava exibi-los a seus pais e ao atual namorado.

2º Fato:

No dia 13 de janeiro de 2016, por volta das 04h00min, na Estrada São Miguel Arcanjo, localizada na Zona Rural deste Município e Comarca de Medianeira, as denunciadas Regiane de Moura Martens e Francieli Benites Acunha, em comunhão de esforços de vontades, uma aderindo à conduta delituosa da outra, de forma consciente e voluntária, cientes da ilicitude e reprovabilidade de suas condutas, destruíram o cadáver de Antides José Alves Rodrigues, ateando fogo no veículo no veículo FIAT/Uno em que estava o corpo da vítima, carbonizando-o. Aproximadamente 04 horas após a consumação do 1º ato narrado na denúncia, as denunciadas Regiane de Moura Martens e Francieli Benites Acunha retornaram até o local do crime e despejaram gasolina sobre o mencionado veículo, ateando fogo em seguida”.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários