Policial

TRÂNSITO

Excesso de velocidade lidera número de multas no Paraná

O excesso de velocidade é a infração de trânsito mais cometida pelos motoristas nos quatro primeiros meses deste ano no Paraná. De acordo com o Departamento de Trânsito do Estado (Detran-PR), de janeiro a abril, os radares flagraram 284 mil veículos transitando em velocidades até 20% superiores ao limite permitido para a via. Em 2017, foram 233 mil multas. Os números representam um aumento de 17% de um ano para outro.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

A coordenadora de infrações do Detran-PR, Márcia Batagini, afirma que os números preocupam, já que mostram que os motoristas não estão preocupados em seguir as normas de trânsito. “20% a mais da velocidade permitida, às vezes, pode ser um lesão ou um óbito. Dependendo da velocidade que está naquele local. 30 km/h na frente de uma escola, se eu estou a 20% a mais, eu tenho que lembrar quem é o pedestre ali: é uma criança. Essa velocidade, para uma criança, já pode levar a óbito”, alerta.

Multas por não identificação do condutor infrator; por avançar o sinal vermelho e por estacionar em local proibido também estão entre as infrações mais comuns. De acordo com a coordenadora de infrações, a multa por não fazer o registro do veículo em 30 dias quando a propriedade é transferida é a quarta no ranking. Segundo ela, um aquecimento do comércio de veículos pode ser considerado uma das causas desse aumento. “As pessoas fazem a parte comercial e deixam de fazer a parte legal, que é comprar e transferir em 30 dias”, afirma.

Outro dado que pode, de certa forma, ser considerado positivo é a queda no número de motoristas que levaram multas por não usarem cinto de segurança. Em 2017, de janeiro a abril, 36 mil condutores foram multados por não usarem o equipamento. Já este ano, no mesmo período, o dado caiu para 32 mil.

Mesmo que a infração ocupe a sétima posição na lista, Márcia Batagini, diz que essa diminuição de um ano para outro demonstra que o condutor está mais consciente. “Nós procuramos associação à preservação da vida. Porque se formos entender que a pessoa está usando cinto só para não ser autuado, então a gente pensaria em desistir”, diz.

Até o momento, em um ranking com 15 tipos de infrações, o Detran já registrou um milhão e seis mil ocorrências. No ano passado, de janeiro a abril, foram novecentas e vinte e três mil irregularidades cometidas pelos motoristas.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários