Policial

ESTELIONATÁRIOS

Polícia Civil prende suspeitos de clonar cheques em 9 Estados

Golpes foram aplicados em Paraná, Minas Gerais, Goiás, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Santa Catarina, Rio Grande do Sul. Polícia estima movimentação de R$ 1 milhão.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Um grupo suspeito de clonar cheques em nove estados brasileiros foi preso em operação desencadeada nesta terça-feira (17), com foco no Paraná, segundo a Polícia Civil. As ações foram cumpridas em seis cidades, simultaneamente — Curitiba, Colombo, Londrina, Guarapuava, Camboriú (SC) e Ji-Paraná (RO). Cinco pessoas foram detidas.

A Delegacia de Estelionato de Curitiba, que conduziu as investigações, estima que o grupo movimentou ao menos R$ 1 milhão. “Somente nesses seis meses de investigações, estima-se que a quadrilha obteve a quantia de R$ 1 milhão”, afirma a delegada-adjunta Vanessa Alice. Os golpes foram aplicados, além do Paraná, em Minas Gerais, Goiás, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

De acordo com a Polícia Civil, o líder da quadrilha, preso em Guarapuava, recebia cheques originais dos comparsas e, por ser publicitário e desenhista, refazia-os com perfeição, adulterando os valores, código de barras e número de série. “Em seguida, os cheques eram enviados para outros membros do bando que tem a função de apresentá-los nos caixas para o desconto”, explica a delegada.

Durante a operação, as equipes policiais dizem ter apreendido diversos documentos falsos, cheques clonados (em processo de confecção), apetrechos para a falsificação, bem como computadores, impressoras de alta resolução e dois carros (Hilux e BMW).

Os presos responderão pelos crimes de estelionato, falsificação de documento público, associação criminosa e falsidade ideológica. Outras cinco pessoas suspeitas foram identificados e permanecem foragidas, conforme a polícia.

Cheques eram adulterados por desenhista, considerado o chefe da quadrilha (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Cheques eram adulterados por desenhista, considerado o chefe da quadrilha

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários