Policial

TRIBUNAL DO JÚRI EM MEDIANEIRA

Silmar Bekes será julgado nesta sexta-feira (09)

O julgamento pelo Tribunal do Júri do réu Silmar Bekes acontecerá nesta sexta-feira 09, na Comarca de Medianeira, a partir das 09 hs. O júri será conduzido pela Juíza de Direito da Vara Criminal Dra. Maristela Aparecida Siqueira D’Aviz, tendo como advogado de defesa Celso Rudinei Silva da Rosa.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Resumo da Denúncia:

“No dia 15 de Novembro de 2010, por volta das 18h30min, na residência da vítima, situada na Rua Marechal Castelo Branco, n° 604, fundos, no município de Missal, nesta Comarca de Medianeira-PR, o denunciado SILMAR BEKES, agindo com consciência e vontade livres, dirigidas à prática de conduta criminosa, deu início à prática de atos executórios tendentes a matar sua ex-esposa ALICE THELEN. Apurou-se que na ocasião, o denunciado estava exercendo o direito de visitas de sua filha e, no final da tarde, ao levá-la de volta à residência solicitou que esta desse banho imediatamente na criança, que tinha se sujado ao brincar na Praça Central e, quando a vítima estava distraída, ele fechou a porta da residência e muniu-se de uma faca de mesa (Auto de Exibição e Apreensão – fls. 12), investindo contra a vítima à traição, passou repentinamente a lhe desferir múltiplos golpes nas costas e no abdômen, causando-lhe os ferimentos descritos nos Laudos Periciais de fls. 23 e 39, mais especificamente: a) feridas pérfuro incisas em número de seis em região do abdômen (houve perfurações de alças intestinais e estômago); (…); c) ferida pérfuro incisa em região dorsal esquerda, medindo três centímetros de comprimeiro; d) ferida pérfuro incisa (suturada recente) em região do cotovelo esquerdo, medindo quatro centímetros de comprimento; e) ferida pérfuro incisa (suturada recente) em primeiro quirodáctilo esquerdo, medindo dois centímetros de comprimento; f) ferida pérfuro incisa (suturada recente) em segundo quirodáctilo direito, medindo um centímetro de comprimento. O crime não se consumou por circunstâncias alheias à vontade do denunciado, mais especificamente pela reação eficaz da ofendida que se protegeu se enrolando em um edredom e evitando os golpes ao se defender com as mãos (que acabaram feridas). Nesse mesmo contexto, o denunciado SILMAR BEKES, ainda agindo com consciência e vontades livres, dirigidas à prática de conduta criminosa, com ânimo de assenhoramento definitivo, subtraiu para si coisa alheia móvel consistente em R$ 70 (setenta reais) em dinheiro e um telefone celular marca Siemens, modelo não especificado (e por isso não avaliado), pertencentes à vítima ALICE THELEN, que se encontravam no interior da residência”.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários