A

Arquitetando

Molduras em EPS

PUBLICIDADE

A inovação e os benefícios do poliestireno expandido para o segmento da construção civil agregam não só à parte estrutural de lajes como também aos acabamentos das obras. A moldura de EPS (popularmente conhecido como isopor) é um bom exemplo de solução alternativa que tem ganhado cada vez mais notoriedade nos projetos arquitetônicos.

O que antes era feito com madeira, cimento, ou gesso, agora segue para a linha da construção sustentável. Uma maneira prática, rápida e econômica para valorizar os detalhes dos ambientes internos e externos, a moldura de EPS pode ser aplicada em janelas, portas, arcos, rodapés, frontões, platibandas, beirais e colunas. Principalmente em obras com conceito neoclássico, as molduras em EPS diminuem as formas de madeira ou chapa metálica para confecção dos detalhes.

A moldura em EPS, normalmente, recebe de fábrica uma base revestida por tela de fibra de vidro recoberta com uma fina camada de argamassa cimentícia e produtos impermeabilizantes.

Esse material possui diversos pontos positivos: são mais leves, portanto, mais fáceis de transportar, dando agilidade e facilidade na aplicação; economia com mão-de-obra; alta resistência mecânica, ao mofo e à umidade; aplicação em superfícies planas com ou sem revestimento; adaptação a qualquer tipo de acabamento; possibilidade de personalização, com corte de acordo com o projeto.

As molduras de EPS não mancham e não sofrem ataques de fungos e bactérias. Permitem a realização de emendas quando há quebra ou dano, e são fabricadas normalmente em peças de 1,00 m, dessa forma facilita o aproveitamento do material. Os encaixes nos cantos são feitos em 45º sendo recortados na própria obra.

Um cuidado que deve ser tomado é com a superfície onde será aplicada a moldura, que deve ser direto no reboco, sem pintura, livre de resíduos e regular para que fique bem fixada. Apos a fixação e secagem, a moldura está pronta para receber massa lisa, pintura ou textura.

Residência com Molduras em EPS

Arquitetando

Por: Jaqueline Mafini

Formada em Arquitetura e Urbanismo desde 2014 e pós-graduada em Engenharia de Gestão e Prevenção Contra Incêndio e Pânico. Atua na área desde 2010, com destaque para design de interiores e prevenção de incêndio.

Comentários