Caderno Especial Saúde

DOENÇA DOS OSSOS

O que é osteoporose e como prevenir

O médico ortopedista da Clínica de Fraturas de Medianeira, Dr. Sérgio P. da Silva destaca que a prevenção da osteoporose deve se iniciar na infância, através de uma alimentação saudável

A osteoporose é uma doença silenciosa, que provoca o enfraquecimento dos ossos, e apresenta sintomas como muita dor, deformidades e limitação da mobilidade.

Os locais mais comuns atingidos pela osteoporose são a coluna (vértebras), a bacia (fêmur), o punho (rádio) e braço (úmero). Destas, a fratura mais perigosa é a do colo do fêmur. Um quarto dos pacientes que sofrem esta fratura morrem dentro de seis meses, e os que sobrevivem apresentam redução da qualidade de vida e independência.

Sobre o diagnóstico precoce e principais fatores para desenvolver a doença, o médico ortopedista da Clínica de Fraturas de Medianeira, Dr. Sérgio P. da Silva descreveu: “O diagnóstico é feito pela medida da densidade óssea, através da Densitometria Óssea; indicado para todas as mulheres a partir de 65 anos, e todos homens com 70 anos, mulheres menopausadas e homens com mais de 50 anos, que possuam fatores de risco. Quem possui maior risco em desenvolver são as mulheres (um homem para cada quatro mulheres), indivíduos de raça branca, pessoas miúdas (magrinhas e pequenas), que tiveram menopausa precoce e não fizeram reposição hormonal, os fumantes, familiares com fraturas, pessoas que possuem doenças graves ou utilizam corticoides por longo tempo e aquelas que já tiveram fraturas na idade adulta”, ressaltou.

Segundo o médico, a prevenção da osteoporose deve se iniciar na infância, através de uma alimentação saudável, com boa quantidade de alimentos ricos em cálcio (especialmente presente nos laticínios e, em menor quantidade nas verduras escuras, no gergelim, no feijão branco e no tofu). Além disso, deve-se proporcionar para a criança e o adolescente a possibilidade de brincadeiras e atividades ao ar livre e exposição ao sol; fonte de produção de Vitamina D. “Da alimentação retiramos os principais nutrientes que fortalecem o osso: o cálcio, a energia e as proteínas. A energia deve vir de fontes saudáveis, como legumes, frutas e cereais. As principais fontes de proteína, como leite, carnes e ovos, também trazem consigo outros nutrientes importantes. É a base da alimentação no bebê durante o crescimento rápido nos primeiros meses de vida e continua importante durante toda nossa existência – sendo principais bases para crescimento e mineralização dos ossos, tornando-os resistentes. A vitamina D, substância produzida em nossas peles quando nos expomos ao sol, é fundamental para o bom aproveitamento do cálcio alimentar. Sua deficiência grave na infância leva a uma doença óssea chamada raquitismo. Por esse motivo, bebês e crianças devem receber suplementação da vitamina desde o nascimento. Nos idosos, a exposição ao sol deve ser feita com responsabilidade; caso contrário, a deficiência de vitamina D se traduz em osteoporose ou osteomalácea. E finalmente, a atividade física: Nossos ossos são forjados para suportar as cargas a que são submetidos ao longo da vida. Eles são estruturas capazes de se adaptar e, quanto mais solicitados, mais fortes e resistentes ficam. O sedentarismo é um dos principais inimigos do nosso esqueleto. Por isso que manter a atividade física constante ao longo da vida é um dos mais importantes pilares para a prevenção da osteoporose”, pontuou Dr. Sérgio.

Para finalizar, o médico ainda salientou que a genética também tem um papel fundamental nessa equação. “Nem sempre, mesmo com todos os cuidados acima, conseguiremos evitar completamente a chegada da osteoporose. Entretanto, ela chegará mais tarde e com menor gravidade naqueles que fizerem sua lição de casa durante a vida”, finalizou.

Comentários