C

Café Analítico

Mentirosos compulsivos

PUBLICIDADE

Todos nós em algum momento da vida, mentimos. Desde algo banal como dar uma desculpa qualquer para não sair com amigos, até situações mais complexas e delicadas. Até aí está dentro do que é comum ao humano. Porém, há um grupo de pessoas que vai além e tem na mentira um hábito: são os mentirosos compulsivos.

O mentiroso patológico mente o tempo todo, inventa histórias, situações, distorce a realidade a seu favor e acaba até ele mesmo acreditando no que inventa. São pessoas que têm um impulso em mentir e este comportamento pode ser observado desde a infância.

Vários podem ser os motivos que levam uma pessoa a mentir compulsivamente, entre eles a necessidade de chamar a atenção, a soberba, o ciúme e a baixa autoestima. Alguns transtornos também levam às mentiras, pois a impulsividade também é uma característica do mentiroso patológico. Com o passar do tempo, o mentiroso compulsivo nem mais se dá conta de que está mentindo. Para ele, é algo tão comum e enraizado na psique, que nem ele mesmo percebe.

Com o tempo, um verdadeiro estrago é feito na vida destas pessoas, porque elas não conseguem assimilar que grande parte das situações desagradáveis que vivenciam está diretamente ligada ao hábito de mentir. Estas pessoas, então, vivem em sofrimento e podem levar muito tempo para entender que precisam de ajuda terapêutica.

Como identificar um mentiroso patológico?

Há algumas características comuns entre eles. A mentira é contada tendo ou não um objetivo. Às vezes, o mentiroso mente apenas pelo hábito, nem mais se dá conta do que faz. Geralmente, a histórias que contam são cheias de detalhes e ricas em dramatização, além se sempre ter o mentiroso como o protagonista: o vilão ou herói da situação.

O mentiroso patológico é tão convincente e confiante, que mesmo sendo algo muito surreal, as pessoas ao redor ficam em dúvida sobre a história contada, não conseguem ao certo identificar se é verdade ou não. Também podem mentir sobre pequenas coisas do dia-a-dia, quanto a fatos relevantes. E por fim, o mentiroso patológico fala com tanta confiança, que não expressa receio ou medo em ser descoberto.

O que podemos fazer? O melhor é manter distância de pessoas assim.

“Que vantagem têm os mentirosos? A de não serem acreditados quando dizem a verdade.” Aristóteles

Café Analítico

Por: Camyle Hart

Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa em 1999, atuando por 15 anos na área, em diversos veículos de comunicação do Paraná. Pós-graduada em Comunicação e Mercado na Era Digital.
Formada em Psicologia pela Faculdade Anglo Americano – Foz do Iguaçu, especializando-se em psicologia Junguiana. Atualmente, mantém uma coluna sobre saúde mental nos jornais Nossa Folha e O Mensageiro, ambos de Medianeira. Mantém um blog sobre temas da psicologia e atua como psicoterapeura, no contexto ‘home care’(domiciliar) e online.

Comentários