Cidades

Agronegócio contra o Coronavírus

Líderes das cooperativas participaram da reunião com Ministra da Agricultura. Frimesa tomou providencias imediatadas para inibir a disseminação.

A Frimesa, juntamente com suas filiadas – C.Vale, Copacol, Primato, Copagril e Lar, participou, na quarta-feira (18), de uma videoconferência com a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina e o secretário de Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara. A ação foi intermediada pela Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) juntamente com o Sistema Ocepar.

Os líderes atualizaram as ações voltadas ao agronegócio após os reflexos ocorridos pelo Coronavírus e as medidas necessárias para conter a disseminação, especialmente nas cooperativas que atuam nas áreas de carne suína e aves. “Manifestamos nossa preocupação com os impactos, caso aconteça a paralisação das atividades das plantas indústriais, tanto sociais como econômicos. Por isso, pedimos apoio no cumprimento nas ações preventivas, estamos realizando ações antecipadas, e seguimos com as determinações do Ministério da Saúde, para evitar que isso aconteça”, conta o diretor-executivo da Frimesa, Elias Zydek.

A ministra, Tereza Cristina, afirmou que até o momento as providencias preventivas tomadas no Brasil não afetam o funcionamento das indústrias de alimentos, mantém o fluxo normal das cadeias produtivas e garante o abastecimento de alimentos. “Precisamos dialogar para que os impactos sejam menores possíveis, tanto econômico como sociais, e que a vida das pessoas, seja preservada”, explica.

As reuniões serão constantes, e uma já está prevista para o próximo dia 25, para falar sobre o andamento das ações.

Sugestões

As cooperativas apresentaram algumas propostas para auxiliar o ramo cooperativista nesse período crítico. Entre elas está a criação de uma linha emergencial, com o objetivo de manter a parte econômica dos empreendimentos cooperativos, diante da possibilidade de uma interrupção. A ministra, Tereza Cristina, disse que a equipe da Secretaria de Política Agrícola já está trabalhando em uma linha estruturada junto com o BNDES visando atender uma possível necessidade.

Outra preocupação é com a possibilidade de escassez de ingredientes ativos para continuidade das atividades agroindustriais, como vitaminas, essenciais no processo de produção e processamento de produtos. Os líderes cooperativistas enalteceram que a atividade econômica, os compromissos firmados com o mercado comprador, tanto interno como externo, não poderão ser alvos de paralização sob pena de prejudicar todo o abastecimento da população e ocasionar uma crise sem precedentes para toda sociedade e para a cadeia agroindustrial.

Participaram da conferência também líderes da Coopavel, Coasul, Castrolanda, Frísia, Cocari e das cooperativas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, superintendente da Ocesc, Neivo Luiz Panho, além de um representante da Fecoagro.

A Frimesa divulgou na terça-feira (17), o Plano de contingência ao Coronavírus. Entre as principais ações está:

-Orientações constantes nos meios de comunicação internos.

-Reforço na higienização dos espaços e disponibilização de álcool gel.

-Suspendeu qualquer evento que aglomere pessoas.

-Reuniões são realizadas por videoconferência.

-Viagens nacionais e internacionais serão evitadas.

-Suspenso acesso de visitantes em todas as plantas industriais.

-Implantado protocolo interno em caso suspeito de COVID – 19.

– Quarentena para os colaboradores que estiveram em viagem.

– Trabalho home office, somente onde houve bloqueio de circulação de pessos

–  Verificação de temperatura corporal.

– Reposição de alimentos nos mercados em horário de menos fluxo de pessoas.

– Jornada de trabalho flexível para evitar aglomeração nos transportes públicos.

-Seguir obrigatoriamente as recomendações do Ministério da Saúde.

Comentários