Cidades

EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

Amesfi ofertará atendimento a pessoas com fissura lábio-palatal

PUBLICIDADE

A AMESFI- Associação Medianeirense de Surdos é reconhecida como uma Instituição polo na área da Educação Bilíngue aos Surdos de sete municípios da Região Oeste do Paraná e nos últimos três anos tem se destacado também como uma Entidade de Excelência no atendimento na área da Saúde.

Através de parcerias e recursos oriundos de projetos, a Entidade promove atendimentos voltados à área da saúde, com sua equipe multiprofissional a todos os usuários surdos, com deficiência auditiva, nas áreas de fisioterapia, psicologia, serviço social e fonoaudiologia. Proporciona também, atendimento no contra turno escolar a crianças com transtorno do processamento auditivo central da Rede Municipal de Ensino de Medianeira, solicitação de exames de audiometria e imitanciometria, atendimento de avaliação, diagnóstico e protetização auditiva, adaptação de implantes cocleares entre outros.

Diante de muitas solicitações para atendimento por parte de familiares de crianças e adolescentes com fissura lábio-palatal, a AMESFI, atendendo o anseio dessas famílias, proporcionará o atendimento a essa demanda que necessita de um trabalho sistematizado, com Equipe Multiprofissional e Interdisciplinar.

Os atendimentos da equipe multiprofissional na AMESFI serão realizados por profissionais das áreas de Fonoaudiologia, Psicologia, Serviço Social, Fisioterapia, Nutricionista e Apoio Pedagógico quando necessário.

Inicialmente, as pessoas que residem nos sete municípios de abrangência da Entidade (Medianeira, Matelândia, São Miguel do Iguaçu, Ramilândia, Itaipulândia, Missal e Serranópolis do Iguaçu), diagnosticadas com fissura lábio-palatal, interessadas em receber esses atendimentos, deverão fazer seu cadastro na AMESFI, presencialmente ou pelo Telefone/WhatsApp: (45) 3264-3643. Os documentos necessários para o cadastro são: RG, CPF, Endereço e Telefone de Contato.

A AMESFI está localizada na Rua Santa Catarina, 2160, Centro, Medianeira.

A seguir, algumas perguntas e respostas sobre a fissura lábio-palatal.

FISSURA LÁBIO-PALATAL

O que é?

É uma abertura no lábio ou no palato (céu da boca), podendo ser completa, lábio e palato. Essas aberturas resultam do desenvolvimento incompleto do lábio e/ou do palato, enquanto o bebê está se formando, antes de nascer. O lábio e o céu da boca desenvolvem-se separadamente durante os três primeiros meses de gestação. Nas fissuras mais comuns o lado esquerdo e o direito do lábio não se juntam, ficando uma linha vertical aberta. A mesma situação pode acontecer com o céu da boca. Em casos mais raros pode haver duas fissuras no palato, uma do lado direito e outra do lado esquerdo.

Por que a boca do bebê não se formou completamente?

Infelizmente existem poucas respostas a essa pergunta. Numa parcela pequena, tem pessoas na família com esse tipo de problema, nesse caso ocorre o que é chamado de pré-disposição genética. Ou seja, o bebê tem uma herança familiar. Na maioria dos casos não existe esta situação familiar e a ciência procura as causas possíveis que acontecem durante a gravidez; são chamadas de causas ambientais e a melhor resposta sempre será dada por um profissional da área.

O que pode ser feito para ajudar o bebê com fissura?

O lábio pode ser reparado nos primeiros meses de vida. O céu da boca leva mais tempo. As datas exatas dessas intervenções cirúrgicas dependem do desenvolvimento do bebê e são determinadas pela equipe técnica. Haverá sempre uma avaliação do médico pediatra.

O bebê pode ser alimentado corretamente?

Alguns bebês fissurados não têm problemas com relação a alimentação, outros têm dificuldades. O uso de mamadeiras com bicos especiais ou o posicionamento do bebê na hora da alimentação pode resolver o problema. Nesses casos a mãe deve ser orientada.

Os dentes terão problemas para nascer e crescer no bebê fissurado?

Se a fissura afetar somente o lábio, provavelmente os dentes não terão problemas. Mas se a fissura atingir a gengiva, onde os dentes nascem e crescem, o bebê necessitará de cuidados com profissionais especialistas.

O bebê terá problemas para aprender a falar?

Nesse caso também haverá diferenças. Se a fissura atingir somente o lábio é improvável que haja problemas de fala. Entretanto se chegar até o céu da boca, além das cirurgias corretivas, haverá necessidade de tratamento fonoaudiológico.

O bebê terá retardamento mental?

Não. Não há nenhuma relação entre a fissura e o desenvolvimento mental da criança. Poderá haver algumas dificuldades de comunicação levadas pela fala ou problemas auditivos. O ingresso na escola é fundamental e se surgirem problemas, os serviços especializados de uma Equipe Multiprofissional darão respostas aos pais e professores.

Qual a idade para iniciar o tratamento?

Não existe idade pré-definida. A idade ideal é logo após o nascimento por causa do relacionamento humano do paciente com o seu meio social.

Algumas dicas:

Muitas vezes, a fissura prejudica a capacidade de comunicação do fissurado, sendo confundida erroneamente com algum tipo de dificuldade mental. O fissurado tem uma capacidade mental normal. Por isso ele deve ser tratado de maneira adequada e com respeito. O tratamento da fissura deve começar o quanto antes. A partir do 1º mês de vida já tem início o processo de avaliação e preparação do recém-nascido para a cirurgia que, geralmente, ocorre aos seis meses de vida. Os pacientes adultos também passam pelo mesmo processo clínico, porém, há uma preocupação maior com a readaptação do indivíduo à sociedade.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Lábio-Palatal.

Comentários