Cidades

CORONAVÍRUS

Comitê de Crise de Missal define multas para quem estiver em aglomerações e festas clandestinas

Sargento Donizetti da Polícia Militar falou sobre ação no final de semana para intensificar a fiscalização

PUBLICIDADE

Com o aumento de casos de Covid-19 no município de Missal, bem como em toda a região, tendo em vista que muitas pessoas ainda não estão respeitando as regras de distanciamento social, promovendo aglomerações e festas clandestinas, seja envolvendo amigos, familiares, confraternizações, entre outros eventos, que não estão permitidos neste momento de pandemia, o Comitê de Crise estabeleceu sanções para estes casos.

Representantes da Polícia Militar e da Polícia Civil estiveram na reunião excepcional que ocorreu na manhã de 25 de junho, onde ficou definido multa no valor de R$500,00 ao responsável pelo evento, ou proprietário, locador, locatário, onde estiver ocorrendo alguma ação nesse sentido. Além disso, a cada participante do evento em questão, será aplicada uma multa de R$300,00.

O comandante do Destacamento da Polícia Militar de Missal, Sargento Donizetti, afirmou que neste final de semana, dias 27 e 28 de junho, haverá um efetivo maior no município para coibir algumas situações que não estão autorizadas. “Estaremos fazendo algumas ações em conjunto com a polícia civil, conselho tutelar, vigilância sanitária, fiscais da prefeitura, principalmente para minimizar essas situações”, confirma.

Donizetti reforçou a questão da multa. “O responsável ou o proprietário da Residência, ou quem organizou a festa, será multado, tanto o organizador, como os participantes”, declarou. “Quando uma pessoa visualizar em alguma chácara, residências, qualquer local público, aglomerações acima de 10 de pessoas, pode estar solicitando a Polícia, ou, também, aos fiscais da Prefeitura, que na maioria das vezes estão indo junto”, acrescenta o Sargento.

O Comandante da PM em Missal ainda pediu à população que colabore, cada um fazendo a sua parte. “O que a gente sabe é que os casos tem aumentado e diante isso, a gente tem intensificado as fiscalizações”, informa. “Quando avistamos qualquer situação em desacordo com o decreto, inicialmente a gente tem orientado ou encaminhado para lavratura de termo circunstanciado. Não seria esse o principal objetivo da Polícia Militar, mas em caso de descumprimento, o cidadão responde pelo seu ato”, finaliza.

Comentários