Cidades

ESCLARECIMENTO

Gerente Regional da Sanepar esclarece motivos da constante falta de água em Missal

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Atendendo um pedido da Administração Municipal de Missal, o Gerente Regional de Foz do Iguaçu da Sanepar, Nilton Luiz Perez Mollinari, esteve na terça-feira, 05 de fevereiro, na Rádio Comunitária Nativa FM de Missal, esclarecendo os motivos da falta de água que gerou insatisfação aos moradores nos últimos dias.

Nilton iniciou informando que a Sanepar trabalha constantemente para que problemas não ocorram, mas sabe da ocorrência de 03 situações em Missal que trouxeram transtornos a população. Uma das situações, no dia 18 de janeiro, foi ocasionada devido ao desligamento programado da Copel. “Sabíamos dessa manutenção, tomamos algumas precauções, mas infelizmente questões operacionais fizeram com que parte da cidade ficasse sem abastecimento”, conta.

“Na semana seguinte tivemos outra ocorrência, na madrugada, tivemos um problema num equipamento elétrico da Sanepar e o reparo desses equipamentos dependem de equipes de fora da cidade”, continua. “Estamos tomando algumas providências para que isso não mais ocorra”, afirma Nilton.

A última situação foi no último final de semana. “Parece que é algo programado, mas não é”, esclarece o gerente. “Nós tivemos a queima da bomba no poço principal que abastece a cidade, e por questão da profundidade do poço, a previsão de retorno do abastecimento que era de 3h da tarde, passou para as 8h da noite”, relata. “Desde já pedimos desculpas a toda população, em nome da Sanepar”, clama Perez.

Soluções

O gerente regional, Nilton Perez, disse que a Sanepar está fazendo investimentos e vai construir um outro reservatório junto ao existente. “Em breve estaremos fazendo uma grande reforma no escritório de atendimento local, por conta de algumas obras que já foram feitas, em especial a instalação de um novo reservatório, aos fundos do escritório, que aumentou em 50% a capacidade de reservação, isso é a garantia de maior duração de abastecimento, por conta de situações como a que aconteceu de falta de energia, de queima de equipamento”, informa.

Nilton ainda pede à população que se ainda não possui caixa d’água na residência, que providencie, para que possa ter, caso falte água, um reservatório que atenda as necessidades daquele dia, sem que isso cause transtornos as famílias. “Normalmente uma família com 04 ou 05 pessoas, é importante que tenha no mínimo 500 litros pra reservar, isso vai garantir o consumo de um dia todo numa eventual falta de abastecimento”, pontua.

Perez afirma ainda que adiante a Sanepar tem um projeto de um poço perfurado na antiga captação no Rio São Vicente. “Aproveitando todo o sistema hidráulico que ligava a captação antiga, que está desativada, até o centro da cidade, temos um poço que vai aumentar em 50% a produção de água”, explica. “Isso vai dividir a cidade em duas zonas de abastecimento, vamos ter maior quantidade de água, maior disponibilidade, inclusive para poder fazer o atendimento diferenciado”, completa.

Nilton destaca que todo o sistema de distribuição está sendo repensado. “Faremos reforços na tubulação, aumentando a bitola de tubulações mestre, que nós chamamos de anéis de distribuição, e isso faz com que aumente a disponibilidade, a pressão e o volume de água, evitando que problemas como esses voltem a ocorrer”, exclama.  

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários