Cidades

Missal

Primeiro LIRAa do ano aponta índice de infestação predial de 2,6%

O Setor de Combate às Endemias divulgou nesta quinta-feira, 19 de janeiro de 2023, os resultados do primeiro Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) do ano. Os resultados, embora não haja casos positivos de dengue, são de alerta para a população, pois, estão acima do preconizado.

PUBLICIDADE

Foram realizadas visitas em 229 imóveis entre os dias 02 a 06 de janeiro e o índice de infestação predial (IIP) médio foi de 2,6%, acima do recomendado pelos organismos nacionais e internacionais de saúde (1%).  Vale um alerta que o perigo mora em casa, pois, todos os criadouros encontrados foram nas residências, como balde, vasos de flor, prato de flor, latas, vasos sanitários, entre outros.

O Setor ainda ressalta o alerta de que já foram encontrados mais de 32 criadouros do mosquito. Segundo o instituto Fiocruz o mosquito adulto Aedes Aegypti, vive entre 30 a 45 dias e a cada 3 dias necessita de sangue para postura de ovos onde consegue contaminar até cincos pessoas no período.

A equipe de endemias de Missal pede a colaboração de toda população para redobrar os cuidados eliminando todos os locais que podem ser pontos de proliferação do Mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, Zika e Chikungunya, evitando uma possível epidemia no município.

É necessário levar em consideração que diversos municípios vizinhos de Missal já tiveram casos confirmados de dengue e também possuem índice de infestação elevado. No verão, muitas pessoas visitam outras cidades, principalmente em função das férias, ou mesmo procurando pontos de lazer, o que pode fazer com que alguém contraia dengue.

A fim de evitar transtornos e epidemias, a Administração Municipal de Missal alerta novamente sobre os cuidados. Elimine locais com água parada e tome todas as precauções necessárias.

Ao apresentar sintomas de dengue a pessoa deve procurar imediatamente a unidade de saúde de referência. Ao permanecer em casa, no repouso, use repelente justamente para que novos mosquitos não fiquem contaminados com o vírus da dengue, e assim possam transmitir a doença para outras pessoas, acabando assim com o ciclo.

Para informações e denúncias, basta entra em contato pelo fone/whats do setor de endemias (45) 3244-8051.

Comentários