C

Comentando

Demora nas decisões do VAR preocupa

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Realmente o VAR ajuda. No entanto, na primeira rodada do brasileirão, só atrapalhou. Muita demora e reclamações. Até me parece que o grupo que analisa imagens não se entende, fazem votação sobre o que marcar e ainda assim, quando não há consenso, vai no voto por escrito. É claro que digo isso como divagações. Não é exatamente assim. Mas a demora é preocupante. Isso significa que nem mesmo com vídeo, a certeza é absoluta. Vi o jogo do Fluminense contra o Goiás, e ficou muito claro que essa demora é prejudicial à partida. Some-se a isso a chuva que ajudou muito para que o jogo fosse mais “peleado”.

Foi decisão demorada para o Fluminense; foi gol anulado do Goiás antes mesmo da revisão. Teve um pênalti apontado pela revisão, mas daí, depois das reclamações, o atleta carioca vai para cobrança e cai parte da iluminação do Maracanã. Depois de 27 minutos a cobrança e o goleiro do Goiás se deu bem. Aumentou a chuva até o intervalo. Novo VAR anula gol do Flu. Até que aos 45 do segundo tempo, o Goiás marcou o único gol da partida, sem necessidade de VAR e impos a derrota para o time das Laranjeiras.

Como já escrevi anteriormente, ainda vai levar algum tempo para que se aceite revisões de arbitragem sem reclamações. Não estamos entendendo que a tecnologia veio para ajudar e, mesmo que tais demoras, é preciso aceitar as decisões eletrônicas.

Outro assunto do final de semana foi a agressão de Neymar a um torcedor no final da Copa da França. O PSG não foi campeão e seus jogadores, ao se dirigirem para a Tribuna para receber troféu e medalhas de vice-campões, um torcedor usando celular para filmar, provocava os jogadores. O brasileiro não gostou e partiu para agressão. Mas tarde pediu desculpas. Mas aí já era tarde. Deve vir punição para o brasileiro.

Ser competitivo é uma coisa. Violento é outra. Desculpas são aceitas. No entanto, o jogador deverá responder pelos seus atos. Até mesmo na justiça comum.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA NOSSAS COLUNAS

Comentando

Por: João Hermes

Radialista e cronista esportivo do Jornal Mensageiro desde 1985.

Comentários