C

Comentando

Pergunto: será que o VAR vai ser respeitado no brasileirão?

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Acordei na quinta-feira passada disposto a escrever sobre a utilização do VAR em jogos no Brasil. Depois de ver jogos da Liga dos Campeões na terça e quarta-feira da semana que passou e o Grenal na mesma semana, a ideia de falar sobre o VAR não me abandonava.

Para minha surpresa, li no dia seguinte alguns cronistas brasileiros escrevendo sobre o mesmo tema e na mesma linha que meus pensamentos me dominavam.

A questão é a seguinte: de nada vai adiantar aplicar a utilização do VAR (árbitro de vídeo) no Brasil, se a cultura do nosso futebol passa pela reclamação acintosa, a violência das palavras e a afronta indecorosa de treinadores e jogadores.

Na rodada passada da Liga dos Campões, foi utilizada para dirimir dúvidas em alguns jogos da mais importante competição europeia. E com a decisão da arbitragem, deliberando pela marcação ou não de infrações com auxílio do vídeo, pouca ou quase nenhuma reclamação foi registrada.

O aceite da decisão é quase imediato. A cultura europeia é muito diferente do que se vê por aqui, quando se trata de decisão de arbitragem no futebol.

Na quarta-feira (17), o Grenal decidia o campeonato gaúcho e em dado momento, o árbitro foi chamado para conferir um lance dentro da área do Internacional e que acabou na marcação de uma penalidade. Ora, o que se seguiu foi algo que não se aceita mais no futebol. A reclamação acintosa de D’Alessandro contra a arbitragem foi muito além do limite, se é que isso existe. O treinador do mesmo time, também. Então volta a questão do VAR. Não vai adiantar a CBF cumprir com a exigência dos clubes na utilização desse equipamento no campeonato brasileiro, se após a marcação, houver muita reclamação e pressão sobre os árbitros. Nossa cultura é muito diferente daquela que se pratica nos campos da Europa.

Por lá, foi a punição rigorosa que acabou com grande parte da indisciplina em campo. A lei foi aplicada e cumprida. Nada de subterfúgios e liminares para retroceder ou diminuir a pena.  Lei se cumpre. Ela pode até ser considerada injusta, mas sempre será a Lei. No fim de semana começa o brasileirão 2019 e, certamente, vamos ver muita coisa ainda pela frente. É de cultura, sim, mas também é de falta de educação.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA NOSSAS COLUNAS

Comentando

Por: João Hermes

Radialista e cronista esportivo do Jornal Mensageiro desde 1985.

Comentários