C

Comentando

Vandalismo se combate com punição

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Já escrevi outras tantas vezes sobre a passionalidade do torcedor e ainda assim, tem muita coisa para se dizer. Aliás, não só o torcedor é passional como também os dirigentes dos clubes brasileiros. Eles são mais torcedores que dirigentes. Não usam a razão para administrar o clube. E esse é o grande problema. No mais recente caso ocorrido no futebol brasileiro e que dá bem para ver como isso funciona, aconteceu no jogo em que o Cruzeiro foi rebaixado para a Série B. Ninguém quer ver o time do coração ser rebaixado. Mas cá para nós, o que tem a ver o rebaixamento com quebra-quebra provocado por vândalos que não se conformaram com a situação? Esses indivíduos não são torcedores. São verdadeiros vândalos e que deveriam estar na cadeia. Depredar um bem que é comum a todos, mesmo que tenha um dono, que seja patrimônio particular ou público, não é admissível essa situação.

Pois voltamos a ver essa barbárie num estádio brasileiro, e pelo visto, nada vai acontecer, salvo melhor juízo, como dizem os meus amigos causídicos.

É preciso que essa história sirva de lição a todos nós. O fato de que o Cruzeiro vai disputar a Série B em 2020 é o final de uma história que foi muito mal montada e contada durante o ano todo. Não conseguiu fazer uma temporada no mínimo regular, trocou quatro vezes de treinador e manteve em seu plantel jogadores que já deveriam ter saído de lá há muito tempo.

Quando o grupo de atletas, seja o time que for, comanda muito mais que o treinador, quando não pensam de forma coletiva, tudo vai dar errado. O que o time mineiro tem que fazer agora, é repensar a proposta de trabalho, planejar 2020 como um recomeço e mostrar a força que o time tem no cenário nacional.

E não tem essa de que “time grande não cai”, como já disseram alguns num passado recente. Essa experiência amarga serve para todos nós. Cair e levantar faz parte da nossa vida. Já o vandalismo se cura com punição. A Lei é clara.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA NOSSAS COLUNAS

Comentando

Por: João Hermes

Radialista e cronista esportivo do Jornal Mensageiro desde 1985.

Comentários