Educação e Cultura

Time de Inteligência Geográfica

Geógrafos criam grupo de inteligência para enfrentar a Covid-19

Time de Inteligência Geográfica (TIG) reúne profissionais de várias áreas para auxiliar os municípios no enfrentamento do Coronavírus. Voluntários criaram mapa online interativo da pandemia no PR

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

A primeira pandemia na era digital gera ainda mais pânico global. É como se a propagação do Coronavírus (Covid-19) ocorresse na mesma velocidade que a disseminação de notícias falsas (fake news), dificultando a tomada de decisão dos órgãos públicos. Para ajudar neste momento de crise, a Associação Profissional de Geógrafos do Estado do Paraná (Aprogeo-PR) criou o Time de Inteligência Geográfica (TIG), grupo multidisciplinar que analisa questões sociais, econômicas e territoriais ligadas às políticas públicas.

A ideia do TIG-COVID19 é antecipar possíveis cenários e sugerir ações que minimizem ou solucionem problemas que impactam no planejamento territorial. As análises e estratégias ficam disponíveis para os gestores públicos e para a população num site com dados, informações oficiais, relatórios de profissionais e mapa interativo da expansão do Coronavírus no mundo e no Estado.

O coordenador de comunicação do TIG, Geógrafo Danilo Giampietro Serrano, explica que o foco inicial de enfrentamento era a Dengue mas que, diante da situação global, os estudos passaram a se concentrar na Covid-19. “O Time de Inteligência Geográfica foi criado no mês de fevereiro, com o intuito de trabalhar com análise e cenários sobre o mosquito Aedes Aegypti. Porém, devido ao atual cenário da pandemia, concentramos todos os nossos esforços neste projeto. Nossa equipe tem quase 30 profissionais envolvidos e os trabalhos são por tempo indeterminado” ressalta.


Ainda de acordo com Serrano, neste momento as reuniões serão realizadas de forma remota. Para o projeto, foram criados quatro grupos de trabalho: Coleta de Dados e Informações (banco de dados); Inteligência e Modelagem Espacial; Análise de Dados Socioeconômicos e Territoriais, e Comunicação. Entre os voluntários do grupo estão profissionais registrados no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), como Geógrafos e Engenheiros Florestais. Mas também há Biólogos, Economistas e a Professora, Doutora e Coordenadora do Centro de Pesquisa em Proteção e Desastre (Ceped) Unioeste de  Cascavel, Irene Carniatto. “Esse grupo é muito importante porque neste momento nós temos muitas informações desencontradas e espalhadas”, explica a coordenadora.

As fontes consultadas por eles são a Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa), secretarias municipais, Defesa Civil, Movimento Brasil sem Corona, Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (Inde), European Centre for Disease Prevention and Control e Imperial College London.

Para a Doutora da Unioeste, o trabalho desenvolvido pelo TIG é essencial tanto para a comunidade quanto para os gestores, uma vez que levanta informações que podem ser usadas no futuro ou ainda no momento atual da pandemia por meio de políticas públicas. “Nós temos, aqui no Oeste do Estado, uma região grande que abrange 54 municípios e o nosso grupo tem parceria com muitas instituições, entre elas o Governo do Estado, prefeituras por meio da Amop e com a regional do Corpo de Bombeiros. Portanto, todas as informações que nós colhemos no TIG são repassadas imediatamente para os gestores da Defesa Civil, prefeituras e militares, o que facilita a análise da situação de cada localidade”, conclui Carniatto.

O TIG gera relatórios atualizados sobre o Coronavírus com análises e comentários e, em seu site, disponibiliza os conteúdos em um mapa interativo e dashboard (painel de interface gráfica que fornece visualizações rápidas dos principais indicadores de desempenho da Covid-19 no Paraná), além de publicar as informações nos perfis da Aprogeo-PR do Facebook e do Instagram.

De início, os estudos serão em torno da pandemia, mas depois os voluntários também se dispõem a ajudar no enfrentamento de endemias e desastres naturais.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários