Especial

PRÊMIO MULHER EMPREENDEDORA

Ana Cláudia Valério é a empresária destaque da CMEG Medianeira

Sócia-Proprietária do Jornal Mensageiro foi condecorada em evento da Fecomércio em Foz do Iguaçu  

PUBLICIDADE

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, por meio da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios (CMEG), realizou nos dias 17 e 18 de junho o evento Prêmio Mulher Empreendedora, em Foz do Iguaçu.

Nessa 13ª edição foram homenageadas as empreendedoras dos anos 2020 e 2022, somando 44 empresárias indicadas pelas 22 CMEG’s do estado. Além disso, a Fecomércio indicou outras duas mulheres que contribuem com o desenvolvimento do estado: a primeira-dama e presidente do Conselho da Superintendência de Ação Solidária do Estado do Paraná, Luciana Saito Massa, e a vice-presidente do Conselho de Administração do Expresso Princesa dos Campos (Grupo Gulin), Sueli Gulin Calabrese.

O vice-governador do estado, Darci Piana, que foi o idealizador da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios, participou da solenidade que reuniu mais de mil mulheres. “Quando tivemos a ideia de criar a CMEG, lá em 2006, talvez tenha sido a coisa mais certa que fiz na minha gestão à frente da Fecomércio. Agradeço de coração pelo que elas fazem pelas nossas instituições e principalmente por contribuírem tanto no desenvolvimento do estado, gerando empregos e receita”, destacou Piana.  

A primeira-dama representou todas as homenageadas e em seu discurso destacou a força da mulher e o trabalho que a Fecomércio faz em prol do empreendedorismo feminino. “Posso dizer em nome de todas que estamos muito gratas por ter esse reconhecimento baseado em nosso trabalho. Jamais imaginei ser homenageada no meio de tantas mulheres, são mais de 40 histórias que fazem a diferença na nossa sociedade. Sei do carinho e orgulho que o Piana tem pela Câmara”, agradeceu Luciana Saito Massa. 

CMEG MEDIANEIRA – De Medianeira, a empresária homenageada de 2022 foi Ana Cláudia Valério, editora deste Jornal, que junto com seu irmão, Julio Cezar Valério, está dando sequência e modernizando o veículo de comunicação que completou 48 anos em maio. Também recebeu o prêmio na ocasião a empresária destaque de 2020, Marta Reis de Araújo.

Homenageadas de 2022 e 2020, respectivamente Ana Cláudia Valério e Marta Reis de Araújo, com a presidente e a vice da CMEG Medianeira, Alexandra Penso e Jane Vergopolan

HISTÓRIA – Conheça a trajetória de Ana Cláudia Valério, contada por ela mesma. “Meu interesse pela área de comunicação vem de berço, não é a toa que estou dando continuidade a um negócio familiar. Mas até chegar a efetivamente assumir o Jornal Mensageiro, minha jornada na comunicação passou por várias áreas e momentos. Me formei em Jornalismo em 2004, na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Logo após formada, a vida me trouxe novamente para minha cidade natal – Medianeira. Uma TV local estava iniciando e foi meu primeiro emprego, como repórter do jornal diário. Com o passar dos anos e a diversificação da programação da televisão, consegui viabilizar um programa chamado “Profissões”. Nele eu fazia de tudo, apresentava, roteirizada, vendia e fazia os contatos. Foram dois anos de muito trabalho, mas de experiências maravilhosas, afinal o programa lidava com o público escolar, com gincanas, materiais de orientação profissional, etc. Ainda trabalhando na TV, em 2008 fui convidada a dar aula no Ensino Superior e aí me aflorou o lado professora (que sempre gostei). Fiz pós-graduação em Docência no Ensino Superior e mais tarde Mestrado em Educação. De 2008 a 2016 esse foi meu principal viés profissional – a docência. Mas sem deixar de lado outros trabalhos na área de comunicação. Trabalhei em campanha eleitoral, como assessora de comunicação, como repórter no jornal em que sou sócia proprietária hoje. E foi esse contato como funcionária e sobrinha da proprietária que fez surgir em mim o lado empreendedora. Aqui faço um parênteses para contar a história do jornal, que passou a se confundir com a minha, 42 anos após a sua fundação. A ideia de criação do jornal de brotou às margens do Rio São Francisco em Remanso-Bahia, quando Mirtis Maria Valério participava do Projeto Rondon. Enviou uma carta para seus pais que viria para Medianeira para fundar um jornal-motivada pelo seu primo Edmar Brás Bolsi, quando conheceu a cidade, em novembro de 1973, e constatou que aqui não havia jornal. Em fevereiro de 1974 chegou com muitos sonhos na bagagem e já colocando em prática o projeto de jornal. Enviou uma circular para os poderes constituídos, empresários, clubes de serviço e lideranças; depois foi escolhido o nome Mensageiro, relacionado com o processo da comunicação. A primeira edição circulou em 17 de maio de 1974 – Dia Internacional das Comunicações, formato tablete, 12 páginas em P&B. Passou em cores no ano 2001, na formatação tablóide, que continua até hoje. A linha editorial sempre primou pela ética, respeito indo ao encontro do leitor, através de pesquisa para mensurar a satisfação e colher sugestões. O jornal é resultado de muito trabalho, dedicação, incentivo de leitores e anunciantes e persistência da Família Valério, em especial de meus pais Otilindes e João Claudio Valério – Caio. Referência também à dedicação de meus tios Marinez e Leodacir José Valério – Primo e da minha prima e jornalista Luana Valério. A fundadora Mirtis deixou um legado histórico-jornalístico de mais de 42 anos dedicados ao Mensageiro e orgulhosa do jornal ter servido de escola para muitos profissionais, ser referência de mídia impressa e reconhecido. Ela saiu de cena para resgatar a Revista Mosaicos e compilar um Memorial. A saída foi em 2016, quando eu e meu irmão (Julio Cézar Valério) decidimos comprar o Jornal Mensageiro. Na época eu tinha uma carreira consolidada no ensino superior, estava grávida da minha primeira filha e morando em outra cidade. Foi uma virada, decidi investir, me dedicar a dar sequência ao mais antigo dos jornais da região ainda em circulação. A última edição que a Mirtis Maria Valério coordenou foi a de 11 de agosto de 2016 e nossa primeira 18 de agosto do mesmo ano. As dificuldades iniciais foram muitas, pois estávamos assumindo um veículo de comunicação tradicional, mas não inserido na era digital. Tínhamos que lidar com o off-line (nosso carro chefe) e o on-line simultaneamente. O primeiro passo foi entender a dinâmica do impresso e planejar a inserção no meio digital. Fizemos a reformulação gráfica do jornal impresso, com base no layout do site que estávamos colocando no ar. O que aconteceu em 08 de fevereiro 2018. Antes disso, em 18 de agosto de 2016, já havíamos criado contas no Facebook e no Twitter e em 2019 foi a vez do Instagram.
De 2016 pra cá o desafio sempre foi viabilizar ideias, criar projetos para satisfazer cada vez mais o leitor, os assinantes e os anunciantes. Continuamos com a mesma periodicidade (semanal), mesmo número de assinantes, circulamos em 16 municípios da microrregião e acrescentamos vários projetos ao impresso. O principal deles foram os cadernos especiais setorizados, desenvolvidos para públicos segmentados e leitores especializados – tais como caderno do Agronegócio, da Indústria, da Construção, da Saúde, de Gastronomia, e os voltados para as datas comemorativas -, que consolidam ainda mais a qualidade e credibilidade do Jornal Mensageiro. Ao mesmo tempo ganhamos leitores e seguidores do mundo digital. Temos um jornal impresso, mas também notícias atualizadas diariamente no nosso site e redes sociais.
Seguimos firmes com as reformulações necessárias, sempre atentos ao que o mundo da comunicação exige e na busca pela excelência”, relata a empresária.

Comentários