Especial

ARTIGO

Notas sobre ser humano em tempos de coronavírus

PUBLICIDADE

O cenário atual traz algumas limitações, preocupações e reflexões diante da necessidade de enfrentamento de situações que são novas para todos nós. Estamos diante de algo inesperado e desconhecido: um vírus que se instalou nas nossas vidas e trouxe incertezas sobre o nosso amanhã. Passamos a contar com a possibilidade da perda de pessoas queridas ou com uma crise financeira mundial.

Todos esses fatores podem ser geradores de medo e ansiedade, influenciados e potencializados pelas constantes informações que recebemos e que tem nos aprisionado em um sentimento de insegurança. E o aprisionamento também vem na forma da recomendação da necessidade de isolamento. Temos recebido uma série de conselhos para se aproveitar o atual tempo (caótico) para colocarmos em dia coisas que não temos dado conta de fazer há anos.

Se você tem tido a oportunidade de cumprir a recomendação do ‘isolamento’ e se neste período você está conseguindo se organizar, ler, trabalhar, se exercitar e aprender, isso é ótimo! Mas se não estiver conseguindo e, pelo contrário, se sente pouco produtivo, paralisado e angustiado, TUDO BEM. A preocupação com este cenário de incertezas e a angústia gerada por isso gasta muito da nossa energia. Se permita notar e validar isso também, pois faz sentido diante da nossa condição de SER HUMANO e de ter consciência.

Não precisamos nos cobrar para termos excelência nesse momento. Estamos aprendendo a lidar com o fato do Coronavírus estar sendo um problema antes mesmo da confirmação de um diagnóstico, pois não se trata somente do que ele afeta no CORPO, mas também na nossa MENTE. Por isso, o apoio entre as pessoas, o compartilhamento das emoções que tem sido geradas e a nossa própria valorização com os nossos sentimentos é importante. São cuidados essenciais com a nossa saúde mental.

Considere que esse é um momento para acalmar a rotina do automático, uma ocasião para repensarmos muitas questões, principalmente no que diz respeito a nós mesmos, nossas atitudes até aqui, na forma como nos importamos com as nossas emoções e sentimentos, mas também, no que se refere com a coletividade, ou seja, a nossa relação com os outros e com o planeta. Lembre-se de se conectar com aquilo que você realmente precisa e o que realmente importa. E ao usar o termo “conectar”, desejo que possamos usar a internet a nosso favor. Não somente para o bombardeamento de notícias alarmantes, mas para que apesar do afastamento físico que o isolamento propõe, possamos nos cercar de afeto através da conexão virtual. Lembre-se que as coisas podem ficar melhores se nos acolhermos e nos respeitarmos.

Portanto, higienize-se, preocupe-se, cuide-se, física e emocionalmente, mas lembre-se que você está fazendo o que está ao seu alcance.

E isso também vai passar.

Psicóloga Michelly Michels (CRP 08/20605) – Trabalha em Medianeira na Comunidade Terapêutica para o Tratamento de Dependentes Químicos – Recanto Parque Iguaçu e em Atendimento Clínico, desde o ano de 2015 na Medclin em Medianeira. Contato (45) 99835-6518.

Comentários