N

Nosso Povo

Carreira militar

“A formação foi árdua, mas valeu muito a pena! Hoje sou um homem diferente de antes de entrar no Exército”, afirma o medianeirense Lucas André de Lima

Lucas André de Lima nasceu em setembro de 1994, em Medianeira. É filho de Jozias de Lima e Solange Aparecida de Lima e tem um irmão, Eduardo. A esposa, Cássia Eduarda Amaro, ele conheceu na Academia Militar. Esta breve apresentação já indica que Lucas seguiu a carreira militar. E no último dia 05 de dezembro foi declarado Aspirante-a-oficial numa formatura inesquecível (como ele mesmo relatou) e agora está sendo movimentado para Cascavel para trabalhar no 15º Batalhão Logístico.

Para entender essa conquista, vamos voltar um pouquinho no tempo e contar a história de Lucas. “Morei em Medianeira até os 18 anos, onde fiz o extinto curso de Técnico em Química na UTFPR. Nessa época já me agradava a ideia de seguir carreira militar e gostava de Ciências Exatas. Acabei indo cursar Engenharia Mecânica na UTFPR em Curitiba. Fiquei até o final de 2015, ano em que fiz a prova para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx) e outros concursos militares. Acabei optando em ir para a EsPCEx, em Campinas-SP, que é a Escola onde os Oficias combatentes de carreira do Exército dão seus primeiros passos na vida na caserna. Após um ano de muito estudo e cobrança física, eu e minha turma fomos transferidos para a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende, interior do Rio de Janeiro”, relembra.

O militar continua contando a sua trajetória. Segundo ele, o primeiro ano no Curso Básico, na Academia Militar das Agulhas Negras, é onde se consolida e se aprimora as lições aprendidas na Escola Preparatória e também termina a formação básica. “Após isso, já no início de 2018, escolhi dentre sete especializações, o Curso de Material Bélico, o qual é responsável pela logística de transporte e manutenção de armamentos e viaturas blindadas e não blindadas do Exército Brasileiro. Foram mais três anos intensos de estudo, atividade física e atividades militares, totalizando quatro anos na AMAN e cinco no total para o bacharel em Ciências Militares. Em novembro deste ano concluí também o Curso Básico Paraquedista”, explica.

Lucas ressalta ainda que na formação, além das matérias militares específicas e as práticas de treinamento físico e tiro, há disciplinas acadêmicas como Cálculo, Física, Química, Estatística, Geopolítica, Relações Internacionais, Direito, Sociologia e outras para que os formados tenham embasamento geral e ferramentas para lidar com os mais diversos problemas. “A formação foi árdua, mas valeu muito a pena! Hoje sou um homem diferente de antes de entrar no Exército. Na AMAN conheci minha esposa, Cássia, que me apoiou irrestritamente desde que nos conhecemos. Ela é da primeira turma de cadetes mulheres e agora está no último ano da formação”, finaliza.

Nosso Povo

Por: Ana Cláudia Valério

Mestre em Educação, Especialista em Docência no Ensino Superior e graduada em Comunicação Social – Jornalismo. Tem experiência em Jornalismo nas áreas de Televisão, Assessoria de Comunicação e Jornal Impresso, tendo trabalhado em veículos de comunicação, instituições de ensino superior e campanhas políticas. Hoje é editora do Jornal Mensageiro.

Comentários