N

Nosso Povo

Cuidar da mente é cuidar de nós

“Sempre foi meu sonho fazer o curso de Psicologia, meu objetivo era ajudar as pessoas em sofrimento emocional”, afirma a psicóloga Gisely de Almeida Lima Dall Oglio

Gisely de Almeida Lima Dall Oglio tem 39 anos, é curitibana de nascimento, onde morou por 25 anos. Mudou-se para Medianeira ao casar-se com João Pedro Dall Oglio, com quem tem dois filhos, Eduardo e Rafael. “Sou filha única e morei sempre com meus avós paternos. A minha atividade preferida era ler, os livros me levavam para outros mundos. Sou formada há 18 anos pela PUC-PR. Sempre foi meu sonho fazer o curso de Psicologia, meu objetivo era ajudar as pessoas em sofrimento emocional, afinal era algo que eu já tinha passado”, recorda a psicóloga (CRP 09/15703).

Durante o curso, Gisely conta que realizou vários estágios e nos últimos anos estagiava na área organizacional, onde continuou por vários anos depois de formada. “Atuei também na área social, para depois me encontrar na clínica. Iniciei a especialização em Terapia Cognitivo Comportamental e me identifiquei com essa abordagem, foi aí que foquei apenas na área clínica. Depois de finalizar essa especialização, iniciei a de Terapia do Esquema, que é outra abordagem dentro das terapias cognitivas, que ganhou meu coração. O meu interesse em Terapia do Esquema me levou a formação em Terapia do Esquema para Casais e iniciei meus atendimentos também em terapia de casal. Tenho outros cursos e formações dentro das terapias cognitivas, entre eles: Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT), Terapia Dialética Comportamental (DBT) e Terapia Racional Emotiva Comportamental (TREC)”, descreve a psicóloga.

Toda essa bagagem a ajuda no seu foco de atendimento hoje, que é o público adulto, realizando psicoterapia individual e de casal. “Atendo na Clínica La Vie, em Medianeira, presencialmente e online. Estamos no mês da campanha do Janeiro Branco, destinada à atenção a saúde mental, assunto que precisa ser lembrado não só nesse mês, afinal nossa saúde mental e emocional precisa de cuidados constantes. Acredito que a psicoterapia pode transformar vidas e vejo isso acontecendo na minha rotina, lembrando que a psicoterapia é um processo colaborativo, ou seja, depende do profissional escolhido e do paciente. Além de não ser restrito às pessoas com diagnósticos, mas a qualquer pessoa que esteja precisando de ajuda. Dentro desse processo existem objetivos terapêuticos, que são construídos em conjunto, sempre com o foco em melhorar a qualidade de vida do paciente, ajudando-o a entender melhor os seus pensamentos, suas emoções e seus comportamentos no presente e em situações do passado”, explica a profissional.

O cuidado com a saúde mental foi essencial para que Gisely enfrentasse um dos maiores desafios de sua vida: o diagnóstico de câncer de mama. “Foi um momento muito difícil e que mudou minha vida pessoal e profissional, afinal tive que parar por alguns meses meus atendimentos e meus estudos. Retornei em março de 2023, mas só finalizei meu tratamento e recebi o resultado de estar curada em setembro. Passar por essa doença e esse tratamento me fez vivenciar uma montanha russa de emoções e assim buscar constantemente uma regulação emocional para conseguir continuar em um caminho de resiliência”, finaliza.
 

Nosso Povo

Por: Ana Cláudia Valério

Mestre em Educação, Especialista em Docência no Ensino Superior e graduada em Comunicação Social – Jornalismo. Tem experiência em Jornalismo nas áreas de Televisão, Assessoria de Comunicação e Jornal Impresso, tendo trabalhado em veículos de comunicação, instituições de ensino superior e campanhas políticas. Hoje é editora do Jornal Mensageiro.

Comentários