N

Nosso Povo

Peça-chave no Posto de Combustíveis

PUBLICIDADE

A qualidade do serviço e bom atendimento encantam qualquer cliente. No caso de um posto de combustível, essa verdade faz grande diferença e põe em destaque a importância do frentista. Afinal, essa é a sua principal função: satisfazer os clientes com a arte de atender bem. Além da responsabilidade de abastecer os veículos que chegam, há outros aspectos que qualificam esse profissional e fazem dele uma das peças-chave na rotina do estabelecimento.

A Coluna Nosso Povo desta semana conta a história de Lucilene dos Santos, que trabalha como frentista há quatro anos. “Eu gosto de conversar com os clientes, é um trabalho que amo demais. Apesar de que não existe feriado ou final de semana por causa dos plantões, você conhece pessoas diferentes, conhece suas histórias de vida, faz novas amizades. Em certos momentos, você pode não estar bem, mas pelo simples fato do cliente elogiar você ou ser bem humorado contigo, tudo se transforma”, declarou Lucilene.

O tempo que um cliente passa no posto geralmente é bem curto e quase todo sob a atenção do frentista. Esse breve período constitui a grande oportunidade de atender bem, mostrar o que o posto tem a oferecer e causar boa impressão. “Independente do ramo de negócio que você trabalhe, o primordial é o bom atendimento aos clientes. Como frentista, os cuidados que devemos ter são a maneira como sinalizar para o veículo que chega, presteza e simpatia, estar bem-informado, ter paciência, saber usar as palavras, a forma como executa o serviço, demonstrando cuidado com o veículo; serviços a mais à disposição ao cliente e a forma como se despede. São pontos cruciais que muitas pessoas não valorizam e são essenciais para mantermos um cliente fiel”, explicou a frentista.

Portanto, ao abastecer seu veículo, valorize o profissional frentista.

A Coluna Nosso Povo desta semana conta a história de Lucilene dos Santos, que trabalha como frentista há quatro anos

Nosso Povo

Por: Tanner Rafael Gromowski

Formado em Letras português/espanhol pela UDC Medianeira, pós graduado em Língua Portuguesa pela FAG Cascavel, trabalha como repórter e redator desde 2013 no jornal Mensageiro.

Comentários