Educação e Cultura

DESTAQUE

Universitária de Jornalismo da UDC conquista 3º lugar no Prêmio Sangue Novo

Geovana Gasparoto foi a única representante do Oeste do Paraná a se classificar para a final da competição estadual.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

O Prêmio Sangue Novo no Jornalismo Paranaense busca contribuir para a melhoria da qualidade de ensino nas escolas de Jornalismo. Através do reconhecimento dos trabalhos desenvolvidos por estudantes dentro das instituições, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) procura valorizar e premiar as atividades acadêmicas e os futuros profissionais.

A acadêmica do 7º período do curso de Jornalismo do Centro Universitário UDC, Geovana Gasparoto, participou da cerimônia de premiação, e na disputa da categoria Reportagem Escrita – Texto impresso, conquistou o 3º Lugar com a matéria “O preço de silêncio” abordando sobre mulheres que não denunciam abusos sofridos.

Crônica da (quase) jornalista

“Quando recebi a notícia que seria finalista do 22° Prêmio Sangue Novo no Jornalismo Paranaense, fiquei eufórica. Quando me contaram que a única representante do Oeste do Paraná a estar na final, era eu, confesso, não tive palavras para descrever a sensação que senti.

Até chegar em Curitiba, eu não havia me dado conta da importância que o Prêmio teria na minha vida. Além de um “algo a mais” no currículo de jornalista, a premiação significa reconhecimento pela dedicação aos quatro anos de escritas acadêmicas.

Um turbilhão de sentimentos no coração e pensamentos inquietantes passaram pela minha cabeça. Matérias aprendidas, lições entendidas, pensamentos debatidos…. E um sonho QUASE realizado.

Sim, impossível falar do prêmio e não do sonho de ser jornalista. Costumo dizer que eu não escolhi ser jornalista, eu fui escolhida logo no nascimento. Jornalista já vem ao mundo problematizando e questionando tudo ao seu redor, e minha mãe que o diga, não fui uma criança fácil. Desde cedo me idealizava nessa profissão, então o jornalismo nunca foi uma opção ou dúvida, mas sim uma decisão convicta.

E para tornar o recebimento do prêmio em realidade, a UDC (com apoio financeiro e reconhecimento) programou minha viagem e eu fui até a Capital concorrer com outros dois finalistas da PUC-PR.

Apesar de não trazer o 1º Lugar para Foz, sinto-me no posto mais alto do pódio. Entender que, além de concorrer, minha escrita jornalística, meu poder de comunicação, está entre os três melhores do Paraná, foi ímpar.

E não por acaso, a premiação aconteceu no dia em que se comemora a Liberdade de Imprensa, assunto tão importante para nós, futuros jornalistas que estamos ingressando no mercado de trabalho.

E como diz Silvia Valim, “nós temos ética e um futuro inteiro para revolucionar”, então eu peço licença para complementar dizendo que além de um futuro inteiro, tenho uma vontade imensa de mudar o mundo!

Jornalismo, Foz, Paraná, mundo, estou chegando formado e bem resolvida: prazer, Gasparoto.”

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA POR EDITORIA

Comentários