C

Café Analítico

COLUNA

Cada experiência é única

Ao longo da vida, passamos por inúmeras situações que vão nos moldando e levando a pensar, ser e agir de determinada maneira em relação ao mundo. As situações pelas quais passamos nem sempre são positivas e muitas delas marcam profundamente a psiquê.

PUBLICIDADE

Ano a ano, situação a situação… e a vida é uma escola que todos os dias nos proporciona muito aprendizado. Mas, ao mesmo tempo que ela nos presenteia com todas as situações que nos fazem crescer, amadurecer e compreender a realidade, ela também pode nos levar a ter um olhar e um modo de reagir engessado em relação ao que nos acontece.

Precisamos ter em mente que cada situação é única e que não devemos reagir de maneira igual a eventos diferentes. Esse é um detalhe muito importante para o qual, grande parte das pessoas, não se atém. Por exemplo, alguém que tenha sido traído nos negócios ou no amor, tende a entrar em novas sociedades ou relacionamentos com sentimento de desconfiança, com um pé atrás. Não que isso seja ruim, de todo, afinal, é sempre bom ir pisando firme e dar cada passo com segurança e calma. Porém, o que a maioria não percebe, é que em novos relacionamentos, sejam eles de que origem forem, as pessoas tendem a sentir e a reagir baseados nas experiências passadas. Assim, alguém que foi enganado, por exemplo, tende a sempre estar desconfiado em novas situações, mesmo estas mostrando serem muito diferentes das vividas anteriormente.

Para mudar isso, precisamos sempre racionalizar sobre cada ação e reação que temos em relação à novas experiências. Não devemos agir no automático. Entender que cada pessoa é diferente e trará novas oportunidades e novos eventos para ampliarmos nossa visão de mundo. Entender que se em algum momento você foi enganado, isso não quer dizer que todas as pessoas enganam; que se você foi injustiçado, não quer dizer que todas as pessoas são injustas.

Muitas vezes, a vida nos presenteia com situações e pessoas maravilhosas e podemos, por estarmos cegos e condicionados a esperar o pior, repelir as oportunidades boas que a vida nos dá.

“Porque aprendi que a vida, apesar de bruta, é meio mágica. Dá sempre para tirar um coelho da cartola. E lá vou eu, nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, às vezes meio burras, tentar acertar os passos. Sem me preocupar se a próxima etapa será o tombo ou o voo…” Caio Fernando Abreu

Café Analítico

Por: Camyle Hart

Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa em 1999, atuando por 15 anos na área, em diversos veículos de comunicação do Paraná. Pós-graduada em Comunicação e Mercado na Era Digital.

Comentários