C

Café Analítico

Imaturidade emocional

Cada vez mais comum, o número de adultos imaturos emocionalmente chama a atenção e, mais do que isso, acaba sendo a mola propulsora de muitos desafetos e sofrimentos.

Hoje, as coisas estão mais fáceis de serem conseguidas e também o tempo que o jovem leva para sair da adolescência e ingressar na fase adulta tem demorado mais. Vivemos uma sociedade de pessoas imediatistas, que querem tudo para ontem, que não lidam bem com as frustrações e que adoecem psiquicamente com certa frequência. Alguns sinais revelam essa imaturidade. Vamos lá.

O primeiro deles é a necessidade de estar sempre rodeado por outras pessoas, seja fisicamente ou no mundo virtual. Há uma dificuldade em ficar sozinho e a gostar da própria companhia. Bauman já dizia que essa necessidade de estar sempre rodeado de amigos nada mais é do que uma tentativa de preencher um vazio existencial. Nem todo mundo se aceita e gosta de ser como é. As pessoas, hoje, têm milhares de ‘amigos’ nas redes sociais, mas conversam e interagem com pouquíssimos deles. Precisamos conquistar o gosto de sentir bem estar sozinhos, que é uma etapa do autoconhecimento e de maturidade emocional.

Outro sinal é o de não encarar o passado. Situações traumáticas tendem a causar danos emocionais quando não processados de maneira correta. Fingir que nada aconteceu não resolve o problema, mas cria dificuldades na vida. Encarar as situações de frente nos faz crescer como pessoas.

A imaturidade emocional também se mostra nas frequentes alterações de humor. Pessoas imaturas dificilmente tem estabilidade de humor. Qualquer coisa as desestabiliza. Num momento estão felizes e, de uma hora para a outra, ficam irritadas, por exemplo.

Mais um sinal de imaturidade é o de não saber receber críticas. A pessoa recebe alguma orientação para o próprio crescimento pessoal e não leva isso como algo positivo. Logo se arma e fica brava. Também tende a colocar a culpa em outras pessoas pelos próprios erros. Esse é um dos sinais mais claros de imaturidade: não assumir os próprios erros. A vida é um eterno aprendizado e, sim, vamos errar muitas vezes. Isso é normal. Assumir os erros e aprender com eles é um dos passos para a maturidade.

Por fim, outro sinal é o de se achar melhor do que os outros. Nada do que temos ou somos nos faz melhor do que ninguém. Somos todos um.

Pessoas maduras não olham os demais de cima para baixo.

“A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura.” Lya Luft

Café Analítico

Por: Camyle Hart

Jornalista e Psicóloga (Crp 08/22594)
Atendimento terapêutico (45) 99932-0666

Comentários