C

Café Analítico

Pode ser pra ontem?!

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

Basta olhar ao redor e prestar um pouco de atenção para perceber que a cada dia as pessoas estão mais ansiosas. Preocupações, desafios, problemas, medos, inseguranças… tudo girando em volta da incerteza em relação ao futuro.

Noites em claro tornam-se frequentes. Você vira de um lado para outro e não consegue acalmar a mente, relaxar. Um pensamento atropela o outro e fica difícil controlar. Para piorar, à noite os medos parecem muito mais terríveis do que realmente são. Um simples problema parece o fim da linha e o sono só parece chegar quando começa a amanhecer. Mas aí já é hora de levantar para mais um dia de muita correria e pensamentos conturbados.

Se pararmos para observar, isto acaba se tornando uma bomba relógio para a saúde mental e física. Essa sequência de noites em claro sem uma compensação de descanso vai minando todo o organismo e, é claro, a maneira que o corpo vai usar para nos alertar é adoecendo.

Ninguém está livre da ansiedade e hoje tenho percebido que a queixa é mais frequente do que os casos de depressão. Pode ser em relação à falta de sono, à uma mensagem não respondida no whatsapp, à espera numa fila qualquer, à alguma resposta que se está aguardando. Enfim, a ansiedade é a dor em esperar. Parece que se está sempre esperando por algo, nunca se está completo. Há sempre alguma coisa pela qual se está ansiando. E este desconforto faz adoecer. Como um motor que nunca desliga, assim nosso cérebro também irá falhar quando em constante estado de tensão, sem nenhum momento para relaxar, descansar.

Além de viver esperando, ter ansiedade é também estar sempre no limite, com medos infundados e uma constante inquietação.

As mãos suam, o coração acelera e a mente não relaxa. Você fica tentando resolver problemas, muitos dos quais nem sequer existem, mas você insiste em ficar antecipando as possibilidades como algo real, pois “vai que, né!”.

Temos que entender que a ansiedade esporádica pode ser até saudável, mas quem a cultiva como uma plantinha e a rega todos os dias, provavelmente, irá adoecer. Então, o ideal é deixar as preocupações que não podem ser resolvidas na hora para o momento certo de resolvê-las e não dar mais importância ao que não é tão essencial assim.

“A ansiedade é semelhante a uma cadeira de balanço: exige que você faça alguma coisa, mas não o conduzirá a nenhum lugar.” Vance Havner

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA NOSSAS COLUNAS

Café Analítico

Por: Camyle Hart

Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa em 1999, atuando por 15 anos na área, em diversos veículos de comunicação do Paraná. Pós-graduada em Comunicação e Mercado na Era Digital.
Formada em Psicologia pela Faculdade Anglo Americano – Foz do Iguaçu, especializando-se em psicologia Junguiana. Atualmente, mantém uma coluna sobre saúde mental nos jornais Nossa Folha e O Mensageiro, ambos de Medianeira. Mantém um blog sobre temas da psicologia e atua como psicoterapeura, no contexto ‘home care’(domiciliar) e online.

Comentários