C

Café Analítico

Coluna

Sobre a dor

Todos nós sentimos dor. Desde o nascimento até o momento da morte ela nos acompanha, passo a passo, como uma amiga inseparável. Quando jovens, a negamos e, quando ela é insistente e ganha força nos rebelamos contra ela. Em vão. Já adultos nos acostumamos, pois ela está sempre ali, bem perto. Mas o medo de sentir dor nos trás mais dor.

PUBLICIDADE

A dor faz parte da vida dos seres vivos (talvez o termo mais correto seria ‘seres conscienciais’, pois o termo abrange mais realidades existentes) e não importa como nos adequamos ou não a ela, a dor permanece.

Há a dor física, a dor emocional, a dor imaginária, a dor de amor, a dor-de-cotovelo, a dor da perda, a dor do parto, a dor pela dor, apenas. E cada tipo de dor nos aterroriza. É a vilã implacável e o preço a pagar pela existência.

Mas a dor, ao contrário de todas as projeções a seu respeito, também é positiva. Ela nos alerta sobre o que não está bem em nossas vidas. A amiga inseparável é boa em nos alertar. Quando nos cortamos, por exemplo, o sentido de dor é o alerta para que seja preciso estancar o sangue, caso contrário, sangraríamos até a morte. Quando, sem querer, colocamos a mão no fogo, a dor nos incita a tirar a mão do calor, caso contrário, a perderíamos. Quando comemos algo que não faz bem ao nosso organismo, a dor de barriga coloca esse mal para fora. A dor emocional nos alerta a trilhar novos caminhos e assim por diante. Assim, a dor que antes nos aterrorizava, passa a ser realmente uma boa e fiel amiga.

Somos seres em construção, inacabados. E talvez seja esse o motivo de sentirmos dor. Pode ser que quando chegarmos à perfeição total, já não haja espaço para ela. Mas isso ainda é uma realidade distante, frente a tantas imperfeições. Já que não há como desprezá-la, vamos aprender com a sábia professora. Segundo Voltaire, ‘a dor é tão necessária quanto a morte’.

Café Analítico

Por: Camyle Hart

Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa em 1999, atuando por 15 anos na área, em diversos veículos de comunicação do Paraná. Pós-graduada em Comunicação e Mercado na Era Digital.

Comentários