Cidades

são miguel do iguaçu

Condomínio do Idoso será construído no município

PUBLICIDADE

O município de São Miguel do Iguaçu será contemplado com um Condomínio do Idoso. A confirmação aconteceu na tarde de quarta-feira, 09, em visita do deputado estadual Hussein Bakri ao município.

O parlamentar, que é líder do governador Ratinho Junior na Assembleia Legislativa, esteve cumprindo agenda na cidade e assumiu o compromisso de trazer o empreendimento para o município.

Inclusive, o Hussein Bakri, acompanhado do prefeito, Motta; do vice-prefeito, Claudio Rodrigues; dos secretários municipais de Assuntos Comunitários, Alexandro Alcará; e de Planejamento, Gunnar Henrique Guedes; do presidente da Câmara Municipal, Raulique Farias; da vereadora Juliane Conti Dandolini, e representantes da Terceira Idade, estive visitando o local que será construído o empreendimento.

O condomínio será instalado no Jardim Liberdade, em uma área da prefeitura de aproximadamente 10 mil m², tendo previsto o investimento de R$5 milhões por parte do Governo do Estado, através do deputado.

‘O investimento de R$5 milhões por parte do Governo do Estado só será possível porque temos uma prefeitura séria, com as certidões em dia, que está colaborando com a doação da área para a construção desse condomínio, que vai valorizar aquelas pessoas que ajudaram a construir a nossa história’, destacou o deputado Hussein Bakri.

A iniciativa ‘Condomínio do Idoso’ foi criada na gestão do governador Ratinho Junior, e através do programa Viver Mais Paraná, da Cohapar, atende idosos com renda de um a seis salários mínimos, que não possuem casa própria.

Em parceria com as prefeituras, a Cohapar contrata construtoras via licitação para a construção de condomínios horizontais fechados, com 40 moradias cada, para casais ou pessoas solteiras, com completa infraestrutura de saúde, assistência social e lazer.

Os contemplados podem residir nas casas por tempo indeterminado, sozinhos ou em casais, com o pagamento de uma contrapartida mensal, um chamado aluguel social, de 15% de um salário-mínimo. Após a desocupação, as unidades são direcionadas ao atendimento dos próximos inscritos conforme fila de prioridades do programa, que levam em conta aspectos socioeconômicos e condições atuais de moradia.

Comentários