Educação e Cultura

TRAVESSIA

Casa da Memória participa do tradicional Jantar do Círculo Italiano de Medianeira

A Casa da Memória Roberto Antonio Marin de Medianeira marcou presença no tradicional Jantar Italiano, que celebrou os 31 anos de fundação do Círculo Italiano. A Festa realizada no último sábado (06), no Lar Centro de Eventos, reuniu história, cultura e gastronomia em uma noite especial. “Este é um dos eventos da programação que está sendo realizada este ano e envolve história, cultura e gastronomia, com o nome ‘Travessia: Uma jornada pela imigração alemã e italiana em Medianeira’. Buscamos parcerias com entidades, grupos e instituições para realizarmos em conjunto ações alusivas aos 150 anos da imigração italiana e aos 200 anos da chegada dos alemães em solo brasileiro”, explica a coordenadora de Gestão e Memória da Casa da Memória de Medianeira, Ana Cláudia Valério.

Na Festa Italiana, além de divulgar a programação ítalo-alemã, a Casa da Memória colaborou com fotos da colonização de Medianeira, que fazem parte do seu acervo, e foram reproduzidas em formato de vídeo nos telões durante o evento.

Além do jantar do Círculo Italiano já foram realizados dois eventos: no dia 19 de maio aconteceu o 5º Dia Sinodal da Igreja, em comemoração aos 200 anos da presença alemã e luterana no Brasil, com a presença de historiador de UFSC, João Klug e almoço típico alemão. E no dia 07 de junho, o grupo Nostra Gente realizou o Filó Italiano, na Cabanha Rosso, com muita música e comidas típicas.

Na sequência, estão programadas as seguintes ações: Festival da Cuca Alemã, Festival Folclórico do Departamento de Cultura, Evento Gastronômico com o tradicional Eisbein, Sarau, Encontro de Corais e Noite de Queijos e Vinhos, entre outras ações que ainda estão sendo organizadas.

            A Casa da Memória de Medianeira irá organizar uma exposição histórica e fotográfica ítalo-alemã. Segundo a historiadora Franciele Aparecida Araujo, “Medianeira é constituída por uma diversidade de culturas, algo que enriquece ainda mais a nossa cidade. No entanto, este ano é um marco importante para essas duas culturas, cujo seus descendentes rememoram com orgulho e carinho a trajetória de suas famílias. Estas memórias estão expressas em seus modos de falar, cantar e nas práticas alimentares, afinal de contas, quem não conhece a polenta italiana e o chucrute alemão ou já ouviu alguém chamando a avó de “Nona” ou “Oma”. Por isso, nosso objetivo com essa exposição histórica é trazer um pouco das histórias e memórias dessas famílias, que trazem consigo elementos de seus antepassados que viveram na Itália e na Alemanha”, salienta.

A exposição será composta por fotos, depoimentos e objetos que estão com a família há gerações e, a partir dessas histórias familiares, mais um pedacinho da História de Medianeira vai sendo contada, apresentada para a população e registrada nos arquivos da Casa da Memória.

Baile foi animado pelo grupo Ragazzi dei Monti, de Monte Belo do Sul (RS)

Comentários