Maisa Responde

Como escolher as melhores peças íntimas

Nas últimas duas colunas, tratamos sobre a importância de entender os tipos de tecido e suas composições, bem como cuidar das peças íntimas para evitar contaminação por micróbios indesejados. E, hoje, para fechar esse assunto com chave de ouro, eu resolvi compilar o que já foi tratado por meio de dicas práticas que vão ajudar vocês a serem mais assertivos na hora da compra dessas peças.

A primeira coisa que vocês já devem saber: é ideal que a composição da peça seja de fibra natural, como o algodão, ou artificial, como o modal, viscose e liocel. Se for para escolher uma peça sintética, opte pela poliamida, em malha circular e não malha de urdume (a conhecida renda) e com forro de algodão.

Hoje, existem muitas marcas que possuem acabamentos químicos antissuor e antimicrobiano, então, busquem por esses modelos, pois eles vão te auxiliar na manutenção da sua saúde íntima. Já para as mulheres, existem disponíveis no mercado calcinhas com acabamento absorvente, dessa forma, não há a necessidade de utilizar o absorvente descartável que abafa a região, tornando-a propícia para proliferação de fungos e bactérias, como também é uma alternativa mais higiênica e sustentável para o meio ambiente. Lembrando que em dias fora do ciclo, o ideal de utilização de calcinha é uma para cada 4 horas ou uma por turno e, na hora de dormir, é aconselhável não utilizar nada para que a região possa ficar arejada e respirar. Essa regra, embora em menor grau, também vale para peças íntimas masculinas, viu?

No que diz respeito ao dia a dia, evite que a peça seja um número menor e aperte, bem como modelos de renda, fio dental e compressivas. Guarde-as para momentos específicos em que o uso fará diferença na roupa ou na modelagem do corpo.

E, por fim, leve em consideração que quanto mais cor a roupa íntima tem, mais química foi utilizada para tingir aquele tecido e que pode causar algum tipo de alergia para essa região. Então, para as peças do dia a dia, escolha aquelas com cores claras ou em sua cor natural, a fim de diminuir esse tipo de inconveniente.

Bom, pessoal, agora que vocês têm um guia definitivo de como comprar, usar e cuidar das suas peças íntimas. Espero que o coloquem em prática no seu dia  a dia. Vejo vocês na próxima coluna!

Maisa Responde

Por: Maisa Silvestre

Maisa Silvestre, engenheira têxtil com especialização em gestão empreendedora e engenharia de produção, cofundadora da marca de roupas reversíveis Realma e apaixonada por moda, viagens, vida saudável e faça você mesmo.

Comentários