N

Nosso Povo

A essência da medicina clínica

“Gostaria de agradecer a todas as pessoas que me formaram como pessoa, médico e, principalmente, os pacientes desta terra que adotei como minha”, afirma Dr. Barcellos

Alberto Henrique Barcellos nasceu em 1º de outubro de 1957, na cidade do Rio de Janeiro, ainda estado de Guanabara. É filho de Maria Helena de Oliveira Barbosa, que se divorciou em 1960. Então ele e o irmão Jorge Henrique Barcellos passaram a viver com os avós André Barbosa e Nancy. “Fui criado em Ipanema, no Clube dos Caiçaras (íamos pela manhã e voltávamos para casa à noite). No clube fazíamos de tudo: natação, futebol, voleibol e, principalmente, velejávamos, esporte olímpico, que com certas vitórias fui representar o Brasil na Europa, França em 1976 e Bulgária em 1978. “Essa paixão pelo esporte, fez com que eu retardasse a entrada no curso de Medicina, pois com viagens longas se estudava pouco”, relembra o Dr. Alberto Barcellos.

O destaque no esporte já bastaria a nossa homenagem e contar essa história, mas o destaque da coluna Nosso Povo dessa semana se deve ao Dia do Cardiologista, comemorado amanhã (14).

Segundo Dr. Barcellos, a Medicina sempre foi a sua escolha. Ele ingressou na faculdade Souza Marques, no Rio de Janeiro, onde conheceu a esposa Dra. Tereza Barcellos. “Começamos a namorar no 4º ano, nos formamos juntos e ingressamos na residência no mesmo Hospital Geral de Jacarepaguá. Fizemos Clínica Médica e depois eu residência em Cardiologia, que sempre foi minha paixão, orientado por uma pessoa fantástica: a Dra. Regina. Quando estava no fim da residência, foi-me ofertado substituir um colega em Assis Chateaubriand, e fomos eu e a Tereza para o Paraná, na época, uma aventura. Gostamos do interior e fomos informados que Medianeira necessitava de Pediatra e Cardiologista. Viemos ver, e no Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Luz, através do Dr. José Della Pasqua, a Tereza acertou começar a trabalhar, e eu no Hospital Nossa Senhora Medianeira, após conversa com Dr. Eduardo Uscocovich. Era abril de 1987. Começamos a atender nos dois Hospitais e ajudar a implantar a UTI, evoluindo a ideia. Hoje na Maternidade funciona uma UTI extremamente bem aparelhada”, recorda o médico.

Na época, segundo o Dr. Barcellos, a escolha de Medianeira foi devido a sua aparência: ruas largas, hospitais, bancos. “Após nos instalarmos, fomos conhecendo as pessoas, costumes e cultura, que nos conquistaram e ficamos. Isso já faz 33 anos. Em 1990, nasceu nossa filha Andréia Barcellos, nossa paixão, medianeirense, que pelo mundo afora fala com orgulho e paixão desta terra”, salienta.

Sobre a cardiologia, o médico destaca que é uma especialidade que leva a tratamentos complexos, pacientes graves e a maioria com boa resposta. “Eu acho que é a essência da medicina clínica. Sou completamente realizado tanto na profissão, como na especialidade que faço com muito amor e carinho. Todos os cardiologistas têm que ter orgulho por poder dar uma qualidade de vida melhor para seus pacientes. Gostaria de agradecer a todas as pessoas que me formaram como pessoa, médico e, principalmente, os pacientes desta terra que adotei como minha” finaliza.

Nosso Povo

Por: Ana Cláudia Valério

Mestre em Educação, Especialista em Docência no Ensino Superior e graduada em Comunicação Social – Jornalismo. Tem experiência em Jornalismo nas áreas de Televisão, Assessoria de Comunicação e Jornal Impresso, tendo trabalhado em veículos de comunicação, instituições de ensino superior e campanhas políticas. Hoje é editora do Jornal Mensageiro.

Comentários