N

Nosso Povo

A paixão pelo trekking e montanhismo

“A iniciativa de fazer esses trajetos por quatro vezes foi minha, depois de ter assistido alguns vídeos de Lucas Glim, do canal “Sozinho na Trilha”; em que ele vai sozinho a diversos locais fazer trekking e montanhismo. Como eu fui criado em uma região serrana (sou natural de Itaiópolis – SC), sempre acampei com amigos desde criança e gostava de ‘sumir do mapa’, o que me incentivou a voltar foi assistindo esses vídeos do Lucas”, afirmou Eduardo Luft, o entrevistado desta semana na Coluna Nosso Povo.

A última expedição da Equipe ‘Polenta Brustolada Adventure’ aconteceu entre os dias 09 e 11 de julho, no Vale dos Perdidos; passando pelos Picos Camapuã, Tucum, Serro Verde, Luar, Siri, Sirizinho e Ciririca – junto com seu amigo medianeirense Vinicios Mertins e seu pai Jorge Luft. “Quando comentei com os familiares e amigos que iria sozinho, acabei despertando o interesse no meu amigo e no meu pai (que já me acompanhou em três aventuras). Desde então, sempre fizemos trajetos diferentes: três trechos em montanhas do Paraná, Pico Camapuã, Pico Paraná e Vale dos perdidos. Teve também um trekking incrível que foi a travessia da Ferrovia do Trigo, no Rio Grande do Sul; onde cruzamos viadutos vazados (sem o fundo) e túneis com mais de 2 quilômetros de distância”, relembrou Eduardo.

Mas ao praticar essa aventura, Luft pontua alguns fatores importantes que podem ajudar no montanhismo. “Essencialmente resistência física para longos trechos de subidas muito íngremes e com obstáculos naturais; escaladas e trechos verticais são frequentes. E também o psicológico deve estar preparado, pois entramos em áreas muito remotas. Além do sangue frio, caso errar a rota (acontece muito) para não fazer besteira”.

Ao ser questionado sobre futuras aventuras, Eduardo enfatizou: “Em breve queremos ir na Serra da Mantiqueira (Serra Fina e Serra do Órgãos). Também estão no cronograma a travessia dos Campos de Quiriri e o tão sonhado Monte Roraima”, concluiu.

Nosso Povo

Por: Tanner Rafael Gromowski

Formado em Letras português/espanhol pela UDC Medianeira, pós graduado em Língua Portuguesa pela FAG Cascavel, trabalha como repórter e redator desde 2013 no jornal Mensageiro.

Comentários