N

Nosso Povo

Criatividade em artesanato de madeira

A quantidade de trabalhos artesanais em madeira feitos por Saul Mezzaroba chama a atenção ao entrarmos na sala pequena do prédio branco, localizado na Avenida Pedro Soccol, em frente à Sicredi Vanguarda. Natural de Iraí (RS), chegou a Medianeira em 1969, quando começou a trabalhar no antigo cinema Cine Saionara, onde hoje é a Martelli Centro de Construção, na Avenida Brasília.

Ao relembrar o começo do artesanato ainda em 1982, Saul confirma. “Comecei a fazer por conta própria quando vi um quadro de Minas Gerais, me interessei, fiz a obra em madeira de Jesus Cristo para enfeitar minha casa e não parei mais. Olhava algo interessante numa revista ou jornal e fazia a escultura em qualquer tipo de madeira, menos eucalipto. Na maioria das vezes, eu compro a madeira e as pessoas, se não quiserem gastar tanto, podem trazer a madeira que eu faço a obra em poucos dias. De vez em quando vou na casa do meu irmão em Sinop (MT) e volto a Medianeira com muitos trabalhos concluídos. Em outra viagem, fui trabalhar temporariamente como entalhador de imóveis, mesclando com as obras artesanais”, disse Mezzaroba.

Dos longos anos de trabalho, ele confirma que há muitas obras para vender. “Tenho estoque guardado desde aquela época e quero abrir logo minha sala para começar a vender minhas obras. Mas do jeito que as coisas estão por causa da pandemia, será mais difícil ainda conseguir compradores”, responde, pensativo. Questionado sobre o tempo que leva para concluir uma obra, enfatiza: “No máximo cinco dias. Quando começo, não quero parar de trabalhar; às vezes vou noite adentro até ficar pronta. É a ansiedade falando que eu preciso terminar logo”, concluiu.

Quem estiver interessado em conhecer ou adquirir as obras do Saul, deve ir ao local localizado na Avenida Pedro Soccol, em frente à Sicredi Vanguarda.

Nosso Povo

Por: Tanner Rafael Gromowski

Formado em Letras português/espanhol pela UDC Medianeira, pós graduado em Língua Portuguesa pela FAG Cascavel, trabalha como repórter e redator desde 2013 no jornal Mensageiro.

Comentários