N

Nosso Povo

Do simples Boteco à Cantina

PUBLICIDADE

“Foi algo que me caiu de paraquedas, nunca tinha mexido com comércio, ainda mais num bar ou cantina”. É dessa forma que Julio Cesar da Cantina Callegari inicia a entrevista para a Coluna Nosso Povo dessa semana.

Antes de abrir a Cantina, ele trabalhava em outro ramo. “Eu fazia compra e venda de suínos vivos para São Paulo e Minas Gerais. Perdi dinheiro, tive que vender meus bens para pagar as contas e fui chamado para trabalhar no almoxarifado da Frimesa. No entanto, como fiz cirurgias no joelho e não posso carregar peso, comecei a procurar outro tipo de trabalho. E quando vi que essa sala do Antenor ao lado do Jornal Mensageiro estava para alugar, conversei com ele para abrir um bar. Mesmo com a desconfiança de alguns amigos e familiares pela falta de conservação no espaço, eu tinha certeza que seria um bom investimento. Até que meus primos vistoriaram e disseram que ajudariam na reforma da sala. Começou como um boteco simples, inaugurado em 16 de novembro de 2015”, relembrou Callegari.

Aos poucos, Julio chamou mais pessoas para ajudá-lo no trabalho de servir porções e atendimento em geral. “Primeiro convidei o Mano Pasetto para ajudar temporariamente e, no fim, chamei mais pessoas para colaborarem. Até então, vendia produtos coloniais (vinhos e embutidos). Hoje, estamos em dez pessoas que preparam o almoço, que servimos de segunda-feira a sábado”.

Uma iniciativa que começou de forma despretensiosa e hoje a Cantina do Callegari é muito conhecida em Medianeira e outras cidades. Outro ponto mencionado pelo Callegari são as famosas Quintanejas, que atraiam visitantes de toda a região. “Começou com uma roda de amigos numa quarta-feira à noite com bastante movimento. Na outra semana, decidimos fazer a Quintaneja, com grande sucesso. Tivemos que parar por causa da pandemia. Fazem falta… Era sagrada toda quinta-feira ter música ao vivo com o Grupo Mãe do Gato. Sempre perguntam quando retornaremos, mas enquanto não houver segurança e permissão para termos música ao vivo, não poderemos realizar”, concluiu.

Nosso Povo

Por: Tanner Rafael Gromowski

Formado em Letras português/espanhol pela UDC Medianeira, pós graduado em Língua Portuguesa pela FAG Cascavel, trabalha como repórter e redator desde 2013 no jornal Mensageiro.

Comentários