N

Nosso Povo

SICREDI

Foi no cooperar que ele cresceu

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves
Manfred Alfonso Dasenbrock iniciou sua trajetória no cooperativismo em 1978 e hoje é presidente do Sistema Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ

“Eu sou filho de um militar alemão e de uma ucraniana que, durante a Segunda Guerra, migrou da Ucrânia para Alemanha. Meus pais Elisabeth e Anton Josef Dasenbrock vieram para o Brasil em 1951 e se casaram no Rio Grande do Sul, na cidade de Rolante (cerca de 100 quilômetros de Porto Alegre) onde nasci. Tiveram nove filhos: José Antônio Dasenbrock, o mais velho, em seguida Bruno Bernardo Dasenbrock e na sequência eu, o terceiro filho do casal. Depois vieram minhas irmãs Erica Maria Dasenbrock, Anelise Dasenbrock, Angelica Maria Dasenbrock, Zigrid Teresa Dasenbrock, Margarete Dasenbrock e por fim o caçula da família, Leonardo Dasenbrock”. Com esta descrição apresentamos o personagem da coluna Nosso Povo dessa semana: Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente do Sistema Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ.

A família mudou-se do Rio Grande do Sul para a colônia de Missal, no Paraná, em 1964. “Meus pais adquiriram um pequeno sítio onde nasceram meus irmãos Zigrid, Margarete e Leonardo. Foi uma caminhada complexa como a dos demais que migravam para as colônias naqueles anos. Chegamos à área de colonização chamada “Gleba dos Bispos”, no atual município de Missal, e encontramos muita mata nativa e animais silvestres. Foi preciso abrir espaço para cultivar a lavoura e fazer a criação dos animais que garantiam a subsistência da família. Mesmo com as dificuldades acredito na importância de ter vivido esse período da infância com tantas aventuras. A primeira foi deixar o Rio Grande do Sul onde tínhamos um ciclo de amizades com os primos e famílias vizinhas e depois por chegar em um ambiente totalmente novo com tanta natureza e contato com animais que despertavam a nossa curiosidade. Aprendemos muitas coisas ao longo dessa caminhada”, relata Manfred.  

Sobre o período de formação, durante a infância e adolescência, Manfred salienta a importância de ter ajudado o pai na roça. “Aprendemos a lidar com os animais e as ferramentas para o plantio e a colheita. Essa proximidade com a agricultura fez com que eu desejasse cursar Agronomia. Nessa época, eu também me dedicava muito a leitura, frequentava a biblioteca em Missal e aprendi alemão lendo romances e revistas que chegavam da Alemanha. Essa dedicação também me ajudou na preparação para ingressar no Colégio Agrícola de Camboriú (SC), uma instituição federal muito rigorosa e com grande qualidade no ensino. Me formei em técnico agrícola em 1977”, conta.

Foi durante os estudos no Colégio Agrícola que Manfred começou a vivenciar o cooperativismo, através de estágio na Cotrefal (atualmente Lar Cooperativa Agroindustrial). E em 1978, foi contratado e passou a trabalhar como técnico. Após anos de andanças pela região oeste, e já cursando Administração na Unioeste (campus Foz do Iguaçu), foi convidado para ser assessor de cooperativismo, caminhando em direção à governança. “Até que fui convidado a me candidatar a vice-presidente da Cotrefal e também da Credifronteiras (atualmente Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ), posição que assumi com muito apoio em 1995. Foi um período de dedicação e trabalho. Nos anos seguintes, conseguimos a superação de metas e a Cotrefal se transformou na Lar. A Credifronteiras também se fortaleceu com a unificação junto ao Sicredi. Em 1999, passei a liderar a cooperativa sem deixar de auxiliar a administração da Lar”, relata.

Manfred se lembra dessa trajetória como um período de obstáculos e muito trabalho em conjunto, que resultou na superação de dificuldades. “Quando olho essa caminhada me sinto grato por toda a jornada. Inauguramos agências e a sede própria em Medianeira. Também avançamos para Foz do Iguaçu e Cascavel. A conversão em cooperativa de livre admissão também foi um desafio importante assim como continuar trabalhando para atender as necessidades dos associados. Atualmente a Sicredi Vanguarda também atua no interior de São Paulo região do Vale do Paraíba e região Sul do Rio de Janeiro”, ressalta

O crescimento dentro da Sicredi foi consequência de sua trajetória. Em 2006, assumiu a Central Sicredi Paraná, formada pelo conjunto de cooperativas Sicredi do Estado e se mudou para Curitiba. Em 2008, passou a coordenar o Conselho Deliberativo do Sistema Sicredi e, no mesmo ano, foi eleito presidente do Sistema Sicredi pela SicrediPar (holding do Sistema Sicredi). Em Assembleia Geral, em 2009, foi eleito para o primeiro mandato de três anos à frente da SicrediPar S.A. “Na minha trajetória profissional também passei a representar o Sicredi no Conselho de Administração do Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (World Council of Credit Unions – Woccu), em 2009, atuando como diretor até 2014 quando assumi como secretário-geral das entidades e na sequência como tesoureiro. Em 2016, fui reeleito como conselheiro do Woccu até 2018, onde tenho desenvolvido grande aprendizado com a oportunidade de contato com instituições do mundo inteiro ligadas ao cooperativismo de crédito”, comenta.

Sobre o futuro, Manfred avalia que o cooperativismo de crédito tem raízes muito profundas que não se distanciaram dos ideais dos fundadores. Por isso, vê o futuro com uma perspectiva muito boa. “Percebo que temos trabalhado por valores como a gestão democrática e a transparência que podem ser visualizadas nas Assembleias. Nesse momento, associado participa ativamente fazendo perguntas, tirando dúvidas e recebendo a prestação de contas. Seguiremos trabalhando para que as cooperativas de crédito do Sicredi continuem com atuação regional e presença nacional, fazendo a diferença nas comunidades e promovendo o ciclo virtuoso. Dessa forma, estimulamos a geração de renda e o desenvolvimento sustentável e impactamos positivamente as regiões onde atuamos. Estamos alinhados com as novas tecnologias e recentemente lançamos a conta digital do Sicredi, o Woop Sicredi. E continuamos focados em um atendimento mais humanizado e próximo de nosso associado, voltado para atender as necessidades de crédito, oferecer serviços e soluções financeiras, promovendo também a educação financeira”.

O que se percebe nas palavras do presidente é orgulho de estar à frente do Sistema Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ. “Nossas ações são pautadas pela defesa da cidadania, cooperação e solidariedade. Seguimos trabalhando na expansão e desenvolvimento do cooperativismo de crédito e para isso também investimos na capacitação e formação de nossos colaboradores. Trabalho em ações bastante distintas, mas também convergentes porque todas têm a mesma raiz que é o cooperativismo de crédito com base de sustentação nos princípios de Friedrich Wilhelm Raiffeisen”, finaliza.

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA NOSSAS COLUNAS

Nosso Povo

Por: Ana Cláudia Valério

Mestre em Educação, Especialista em Docência no Ensino Superior e graduada em Comunicação Social – Jornalismo. Tem experiência em Jornalismo nas áreas de Televisão, Assessoria de Comunicação e Jornal Impresso, tendo trabalhado em veículos de comunicação, instituições de ensino superior e campanhas políticas. Hoje é editora do Jornal Mensageiro.

Comentários