N

Nosso Povo

Goleiro – o herói solitário

“Naquele tempo a gente jogava por amor, não tinha frescura, não tinha essa coisa de ter que ir buscar o atleta em casa, dar tênis novo pra ele, a gente treinava por conta sozinho, brigava pela camisa do clube. Acredito que muito dos títulos vieram por conta do esforço que tínhamos dentro da gente.”

PUBLICIDADE

Artemio em frente a fotos, troféus e medalhas, que expõe com orgulho em seu local de trabalho

O mais solitário dos jogadores de futebol dentro de campo tem um dia dedicado à posição, 26 de abril, dia do nascimento de Hailton Corrêa de Arruda, o lendário goleiro Manga. Aproveitando a passagem do Dia do Goleiro, nesta semana entrevistamos Artemio Dal Moro, proprietário do Lavacar Avenida, figura muito conhecida em Medianeira e região por sua atuação como goleiro de futebol. Ele nos contou um pouco da sua história, recheada de muito esforço e grandes conquistas.

Artemio é gaúcho nascido na cidade de Cacique Doble-RS e ainda criança veio para Foz do Iguaçu com os pais que vieram para trabalhar na construção. “Eu comecei treinando no Flamengo de Foz, eles tinham uma excelente equipe. Mas meu pai não gostava muito de futebol, queria que eu trabalhasse, eu deixava meu material atrás da porta de casa escondido, para conseguir sair pro treino sem que ele me visse. Acordava as 5 da manhã pra correr antes do trabalho pra ganhar preparo físico. Eu era ruim na linha comecei no gol por isso”, brincou o goleirão.

Seu primeiro time foi o Brasas em Foz do Iguaçu, formado praticamente só de vizinhos, depois Oliveira Disco, Marinha, Antártica, disputou a Taça Paraná, Jogos Abertos, sendo vice-campeão da Taça Paraná (hoje Taça Ouro). Artemio teve passagem ainda por Marechal Rondon, onde foi tricampeão, conquistou títulos também em Cascavel, chegou a disputar amistoso contra a Seleção Brasileira de Futstal, Campeão no Paraguai, onde foi convidado a participar da Seleção da Região, além de muitos jogos importantes, inaugurando campos e ginásios por toda região.

Em 1981 após o bi da Taça Paraná ainda jogando pela Jabur, uma das melhores equipes do Paraná na época, recebeu o convite do então amigo e jogador do Grêmio Esportivo de Medianeira – Vitor Hugo Della Pasqua, que foi o responsável por trazê-lo para jogar em Medianeira. Foi onde começou sua história na cidade. No Grêmio foi bicampeão da Taça Paraná. Depois já pelo Clube União e o MEC conquistou novamente a Taça Paraná em 1972 e um vice em 1975.

GOLEIRO – jogador que tem por função defender o gol e é o único que pode tocar a bola com a mão em sua grande área. Também pode ser chamado de arqueiro, guarda-meta, guarda-rede, guarda-vala, guardião, golquíper, quíper, vigia. Conta-se que o primeiro goleiro a usar luvas foi o argentino Carrizo, que jogou na década de 1940. O mais premiado, por sua vez, foi Lev Yashin – ganhou a bola de ouro de melhor jogador da Europa em 1963, foi considerado o melhor goleiro das copas de 58, 62 e 66 e das olimpíadas de 56, 60 e 64.

Nosso Povo

Por: Douglas Florêncio

Técnico em design gráfico e fotografia pelo Sesc/PR. Colunista esportivo, há mais de 10 anos trabalhando em jornal e outras mídias.

Comentários