N

Nosso Povo

Movida a desafios

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves
Como uma boa gaúcha, Sonia aprecia a tradição do chimarrão

Sonia Salete Pavan é a quarta filha de Itelvino Dyonízio Bassani (em memória) e Armelinda Girardi Bassani (90 anos). Possui seis irmãos: Luiz Alberto, Berenice Lúcia, Nestor Eugenio, José Paulo, Mauro Franscisco e Izabel Cristina Calegari. Nasceu em 15 de agosto de 1957, em Passo Fundo – RS. “Morei lá até meus nove anos de idade, depois viemos para Medianeira. Nossa família, como tantas, também enfrentou muitas dificuldades, pois os recursos eram poucos, mas com o esforço de todos, fomos superando as dificuldades. Quando chegamos aqui tudo era muito diferente de Passo Fundo, no começo choramos muito, imagine Medianeira no ano 1965”, relembra Sonia. 

Sobre a infância, ela recorda que, junto com os irmãos, brincavam muito, até a noite. E brinca que só entravam em casa depois da mãe chamar muito e sair com uma vara na mão. “Uma das coisas que marcaram minha infância é que depois do jantar, meu pai e minha mãe sempre reuniam o maior numero de filhos possível para cantar em italiano”.

Sonia é casada há 41 anos com Jaime Pavan, com quem tem dois filhos: Eduardo Pavan, casado com Valni da Siva Magalhães e Valesca Pavan Guimarães, casada com Olavo Franklin Guimarães. Os filhos lhe deram de presente seis netos: Maria Eduarda, Maria Clara, Vitor Eduardo e Maria Vitória (filhos de Eduardo); Lorenzo e Lavínia (filhos de Valesca). “A família é o bem mais precioso que possuímos, é aonde encontramos as maiores alegrias e realizações, é o nosso porto seguro”, confirma.

Nesta trajetória de vida, Sonia enfrentou muitas dificuldades, mas delas só lembra que a fizeram crescer como pessoa, mãe e avó. “Delas tiro, todos os dias, motivos para celebrar a vida, cada momento, pois a vida é um grande presente de Deus e, como tal, devemos agradecer cada instante. Viver melhor minha humanidade a cada dia é minha missão de vida”, salienta.

Cursilhista e Soroptimista há muitos anos, Sonia aprendeu a ser muito mais confiante. “Amar ao próximo como a mim mesma, ter fé e acreditar que tudo posso naquele que me fortalece. No Soroptimismo aprendo a ser muito amiga e companheira”, destaca. Hoje atuando na Associação Medianeirense de Portadores de Parkinson (AMPP), ela afirma que quer ser um elo a mais na construção de uma vida melhor para os parkinsonianos.

Além de trabalhar de segunda a sexta na AMPP, Sonia enfrenta um novo desafio. “Com a maturidade, sinto que necessito estar sempre me atualizando e resolvi que, nesta altura da vida, tenho que ter um tempo maior para mim. Estou cursando Gestão Comercial na UDC. E que Deus nos abençoe”, finaliza.

Sonia com o marido Jaime e a mãe Armelinda, que completa 91 anos no próximo dia 02 de outubro

PUBLICIDADE

Anuncie - Naves

LEIA NOSSAS COLUNAS

Nosso Povo

Por: Ana Cláudia Valério

Mestre em Educação, Especialista em Docência no Ensino Superior e graduada em Comunicação Social – Jornalismo. Tem experiência em Jornalismo nas áreas de Televisão, Assessoria de Comunicação e Jornal Impresso, tendo trabalhado em veículos de comunicação, instituições de ensino superior e campanhas políticas. Hoje é editora do Jornal Mensageiro.

Comentários