N

Nosso Povo

Nego Alex esportista medianeirense

O Dia do Esportista é comemorado anualmente em 19 de fevereiro, com o objetivo de incentivar, conscientizar e homenagear a prática do esporte, como meio para o desenvolvimento de uma vida muito mais saudável. A data foi originalmente criada a partir da Lei nº 8.672, de 6 de Julho de 1993, conhecida como “Lei Zico”. No artigo 54, consta que o dia 19 de fevereiro seria destinado como Dia do Esportista.

Contaremos um pouco da história do Nego Alex, conhecido por ter atuado muitos anos no futebol profissional em diversas equipes nacionais e também em equipes amadoras em Medianeira e região; como comprovado na foto em destaque, com uma equipe de futebol amador no CESUM. “Disputei profissionalmente diversos campeonatos estaduais e até a Copa do Brasil pelo Desportivo Ferroviária (ES), América de Natal (RN) e Goiás (GO). Fui campeão carioca pelo Vasco em 1987, onde conheci o Romário e o Roberto Dinamite”, relembrou Nego Alex.

Mas antes de chegar ao município, o jogador teve breves passagens pelas equipes de Cascavel e Foz do Iguaçu. Foi para Matelândia, onde durante a gestão do prefeito Masao Takechi, atuou na secretaria de Esportes. Sabendo do trabalho exercido por lá, o então presidente do CESUM Erni Della Pasqua convidou-o para trabalhar em Medianeira – assumindo, então, a Escolinha de Futebol do Clube União; mais as categorias de base nas Escolinhas do BNH e Bairro Condá. “Mesmo envolvido com a criançada, não parei de jogar. Tanto que participei da Taça Tarobá de Futebol Amador, sendo Bicampeão pela equipe de Medianeira. Pela Taça Paraná, chegamos às fases finais conquistando o 4º lugar diante do Curitiba e campeão pelo Grêmio Aimoré de Marechal Cândido Rondon”, disse Alex.

Fixando residência em Medianeira a partir de 1996, conheceu personalidades ligadas ao esporte, como Arnaldo Severo da Silva, o radialista João Hermes Gromowski (então presidente do CESUM), os irmãos Ivo e Édalo Da Rolt; e Rui Vencatto. “Dentre tantos que foram responsáveis em alavancar o futebol em Medianeira, considero o Rui o maior nome do esporte medianeirense. Tenho muito respeito por ele que foi grande jogador de futebol”, afirmou o esportista.

Os anos passaram e ele não deixou de lado o futebol. Tanto que coordenou a Escolinha do Parque Independência nas categorias de base Sub-11 e Sub-13; além de ter auxiliado o treinador Douglas Gerviack na Escolinha do Bairro Condá. “E ainda quando sobrava tempo, pelo menos antes de começar a pandemia, eu ainda corria atrás da bola. Enquanto eu estiver bem de saúde e com fôlego, continuarei jogando nos campeonatos amadores. Apesar de ter caído um pouco no esquecimento, o futebol amador medianeirense é muito respeitado em todo o Estado por todas as conquistas alcançadas e nomes que atuaram no esporte”, finalizou.

Nosso Povo

Por: Tanner Rafael Gromowski

Formado em Letras português/espanhol pela UDC Medianeira, pós graduado em Língua Portuguesa pela FAG Cascavel, trabalha como repórter e redator desde 2013 no jornal Mensageiro.

Comentários