Policial

dados

PRF divulga balanço das apreensões em Foz do Iguaçu

O comparativo é referente a 2019/2020

PUBLICIDADE

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta quarta-feira (24) um balanço dos dados criminais na área de atuação em Foz do Iguaçu e região. O comparativo é referente a 2019/2020.

Com a estratégia de negar o uso da logística ao crime organizado para assegurar a prosperidade nacional, através de uma repressão qualificada orientada pela inteligência, incremento de tecnologia e expertise policial, a PRF apresenta o balanço dos dados criminais relativos ao trecho sob circunscrição da Delegacia de Foz do Iguaçu (PR).

ENTORPECENTES – A saber, o primeiro “ataque” da PRF na região transfronteiriça é primordial para filtrar o fluxo do transporte de itens ilegais, com a consequente promoção de uma complexa e sistemática asfixia às organizações criminosas, nos três arcos: Sul, Central e Norte.

Com relação ao combate ao narcotráfico, a PRF atua no atacado, e não no varejo. Ou seja, busca impedir que as drogas não cheguem nas escolas ou nas comunidades, por exemplo. Evita-se, assim, o conflito armado e, com isso, vidas são preservadas.

Em 2020, os policiais da Força de Pronta Resposta Federal impuseram um grandioso prejuízo de R$ 222.438.350,00, aproximadamente, ao crime, com as apreensões de entorpecentes.

Seguem os números:

2020

Maconha: 21.297,8 kg

Skunk: 11,3 kg

Haxixe: 24,9 kg

Cocaína: 172,4 kg

Crack: 172,1 kg

Ecstasy: 4.200 unidades

2019

Maconha: 24.662,4 kg

Skunk: 15,6 kg

Haxixe: 52,3 kg

Cocaína: 422,7 kg

Crack: 150 kg

Ecstasy: 1.213 unidades

LSD: 460 pontos

CIGARROS – Em 2020, a PRF de Foz do Iguaçu alcançou um significativo incremento de 91% nas apreensões de cigarros contrabandeados do Paraguai.

Foram 629.098 maços retirados de circulação, ao passo que, em 2019, o número chegou a 56.719.

Representando mais uma grande descapitalização de R$ 3.145.490,00 aos criminosos.

A maioria das caixas de cigarros foram flagradas dissimuladas em cargas lícitas, como arroz e farinha de trigo, por exemplo.

DINHEIRO  – A apreensão de dinheiro, em espécie, valores não declarados, pela PRF, importa em um interessante golpe aos criminosos, na medida em que obstrui a tentativa de burlar o controle fiscal e facilitar a circulação e otimizar as transações.

A ilustrar, o montante apreendido é revertido, por exemplo, ao Fundo Nacional Antidrogas (FUNAD) que possibilita investimentos estruturais nas ações repressivas, como o ocorrido na última quinta (18), em Curitiba (PR), quando a PRF recebeu 20 novas viaturas técnicas para o transporte de cães atuantes na atividade de cinotecnia, com o propósito de reduzir a oferta de drogas no país.

Em 2020, a PRF apreendeu R$ 116.804,00, e U$ 268.800,00 (equivalente a R$ 1.513.344,00), sendo que, em 2019, o valor atingiu R$ 580.980,00.

OURO – O transporte de minerais, como pedras preciosas e metais também representa uma tática utilizada por criminosos para potencializar a circulação de ativos financeiros obscuros.

Em 2020, os policiais da União apreenderam 6 kg de ouro, valor compatível a R$ 2.050.000,00.

Isto é, juntos, dinheiro e ouro, formalizaram um rombo de R$ 3.680.148,00 aos cofres das organizações e associações criminosas.

DEFENSIVOS AGRÍCOLAS  – Em 2020, a PRF apreendeu 2.142 kg de agrotóxicos, sendo que, em 2019, foram 153 Kg. Um considerável acréscimo de 92,9%.

Vale destacar a grande importância destas apreensões realizadas pela PRF, considerando a ausência do controle de qualidade que repercute em perigo à saúde pública nacional, bem como o fomento à concorrência desleal aos comerciantes regulares brasileiros pelos baixos valores praticados.

MEDICAMENTOS  – Em 2019, foram 279.894 unidades apreendidas. Já, em 2020, tal número teve um decréscimo. Foram 55.615 unidades.

Qualquer medicamento retirado de circulação consiste em uma grande entrega social pela PRF, tendo em vista a nocividade destes itens à saúde pública.

Cabe destacar que o crime de importação de medicamento sem o cumprimento das condições legais prevê uma pena de reclusão, de 10 a 15 anos, e multa.

BEBIDAS ALCOÓLICAS – No ano passado foram apreendidos 656 litros de bebidas, sendo que, em 2019, o número foi 2.616.

É imperioso lembrar que, com as restrições de circulação do trânsito entre Foz do Iguaçu e Porto Iguaçu, na Argentina, houve uma alteração da rota de introdução de bebidas em território brasileiro.

ELETRÔNICOS – Com o fechamento das lojas de Cidade do Leste, no Paraguai, em boa parte do ano de 2020, decorrente das restrições de trafegabilidade com Foz do Iguaçu, houve uma redução da movimentação de produtos eletrônicos, de informática e cosméticos, sendo notada na diminuição do número de apreensões pela PRF.

Em 2019, foram 41.403 unidades, ao tempo que, em 2020, a quantidade restou em 12.032.

VEÍCULOS RECUPERADOS – Mais um número que teve influência com as limitações de trânsito na Ponte Internacional da Amizade, levando em conta que os veículos furtados ou roubados têm o Paraguai como grande destino para serem colocados à venda.

Em 2019, 100 veículos foram recuperados e devolvidos aos seus legítimos proprietários. Por seu turno, em 2020, foram 65.

Comentários